Briefing

Início > Media > O que podem os meios britânicos aprender com Portugal?

O que podem os meios britânicos aprender com Portugal?

quarta, 15 março 2017 12:49

A questão é suscitada na edição online da revista Campaign, num artigo em que se destaca a união de seis grupos de media portugueses na Plataforma de Meios Privados (PMP), enquadrando-a num esforço para combater o domínio da Google e do Facebook.

"Imagine um mundo onde os egos são substituídos pelo pragmatismo económico e onde os proprietários dos meios colaboram para encontrar uma alternativa viável a um duopólio sufocante. Bom, esse mundo já existe. É em Portugal". É assim que começa o artigo dedicado ao projeto Nónio, da PMP, que consiste num sistema de gestão partilhada de dados, que permitirá um endereçamento de conteúdos comerciais e noticiosos mais próximos das necessidades dos utilizadores online.

A primeira lição que os editores britânicos devem tirar, diz a Campaign, é a de que tempos desesperados requerem medidas desesperadas: "se 70 a 80% das receitas publicitárias digitais vão para dois players apenas, então é mesmo necessário algo drástico".

Há mais duas lições a aprender, mas a revista também alerta que o mercado britânico é maior e mais complexo do que o português.

A Plataforma de Meios Privados integra todas as publicações dos grupos editoriais Impresa, Cofina, Global Media, Media Capital, Público e Renascença.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Briefing advocatus fibra Welcome store


Considerações Legais     © 2016 briefing     Ficha Técnica  Estatuto Editorial