Eurobest é “o melhor anúncio publicitário” para Lisboa

 

Eurobest é “o melhor anúncio publicitário” para Lisboa
Com o festival de criatividade a decorrer pelo segundo ano consecutivo na capital portuguesa – quando o normal seria seguir para outra cidade -, Lisboa tem, assim, “o melhor anúncio publicitário” que alguma vez poderia ter, revela ao Briefing Vasco Perestrelo, CEO da MOP– Multimedia Outdoors Portugal, representante do evento em Portugal.

Por seu turno, Philip Thomas, CEO do festival, admitie que a organização ficou “encantada com os resultados do último Eurobest” – realizado em Lisboa – e, por isso, e apesar de algumas modificações, decidiu apostar novamente na cidade portuguesa.

Os apoios prestados pelas indústrias criativas de Portugal, assim como pela própria cidade de Lisboa e pelo representante oficial português do evento, a MOP, foram, de acordo com o CEO, a “chave” para que tudo corresse bem. “Tivemos um ótimo feedback dos delegados relativamente ao programa do festival e aos eventos de networking, e os mesmos delegados que participaram nas edições realizadas noutros países expressaram a sua satisfação de terem estado em Lisboa – a receção calorosa e a própria cidade”, adianta Philip Thomas, acrescentando: “Embora destinado a mudar o sistema de movimentação da festa todos os anos, foi fácil decidir ficar mais um ano em Lisboa, o que nos permite construir sobre o sucesso e para continuar a desenvolver o Eurobest como um festival ainda maior”.

Tal como sucedeu no ano anterior, o festival de criatividade tem previsto a participação de “um português em todos os júris de todas as categorias”, revela Vasco Perestrelo. Para a MOP, voltar a organizar um evento como este no seu próprio país é um motivo de orgulho, uma vez que, com ele, a MOP contribui “para aumentar o prestígio da criatividade portuguesa e de Lisboa como cidade única para juntar estes dois elementos: criatividade e turismo”, explica Vasco Perestrelo. “Significa que o projeto de sermos representantes de Cannes e promover a criatividade do nosso país e, simultaneamente, promover Lisboa está a ser conseguido”, adianta.

A eleição da capital portuguesa para a nova edição do Eurobest “aconteceu naturalmente”, sem que para isso a MOP, a Câmara Municipal de Lisboa ou a indústria criativa tivessem influenciado na escolha. “Apenas ajudámos a fazer com que o festival do ano passado fosse um sucesso: as pessoas (principalmente as que vieram de fora) ‘experimentaram o produto’ e quiseram continuar a comprá-lo”, explica ao Briefing Perestrelo. Para os criativos portugueses, o regresso do evento a Lisboa “deve ser um motivo de grande orgulho. Primeiro porque os festivais têm como regra básica acontecerem em ‘países e cidades reconhecidamente criativas’; segundo porque deve estimulá-los a criar mais e a aproveitar a forte exposição internacional que o festival dá à sua criatividade”, conclui.

Apesar de se realizar no final do ano – de 28 a 30 de novembro -, a organização está já a trabalhar para que tudo corra na perfeição. Quanto a novidades para este ano, Philip Thomas adianta apenas a possibilidade de haver “novas categorias, um novo prémio e uma nova academia para a geração mais jovem”, deixando a promessa: “Vamos tornar o festival maior e com novas funcionalidades”.

Catarina Caldeira Baguinho    
Fonte: Briefing

 

 

Terça-feira, 24 Abril 2012 09:42


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor