CMTV ultrapassa expetativas em seis meses

A conclusão foi apresentada esta manhã pela administração da CMTV durante uma conferência de imprensa promovida para fazer um balanço dos primeiros seis meses do canal. “Os resultados do canal estão acima do que projetámos para esta altura”, afirmou Paulo Fernandes, administrador da Cofina.

Segundo a informação avançada pela Cofina, a CMTV conseguiu durante o primeiro semestre ultrapassar a RTP Informação e a TVI 24, tendo registado o recorde de audiência a 22 de agosto, com 41,160 espectadores, no programa “Notícias CM”, de acordo com os dados da GfK.

Em termos de audiência média, o canal registou um crescimento de 165 por cento de acordo com os dados da GfK, enquanto a Marktest apresenta um crescimento de 290 por cento.

A evolução do share foi positiva, tanto nos dados da GfK, como Marktest e nos “valores reais”, no entanto a GfK regista um crescimento do share menos significativo.
Os dados da própria CMTV indicam que o canal registou um crescimento de 174 por cento em share.

“Ultrapassámos as expetativas para o primeiro ano em apenas seis meses”, garantiu Octávio Ribeiro, diretor da CMTV.

De acordo com o diretor da Cofina, a CMTV consegui comprar com os seus objetivos que dera inovar e oferecer conteúdos diferentes. A performance do canal tem agradado à administração, uma vez que os resultados estão acima do que tinham projetado.

“O sucesso prova que os portugueses querem conteúdos diferentes e alternativas. Espero que o poder político possa entender isso”, alertou ainda Paulo Fernandes.

De acordo com os dados avançado pela CMTV, o perfil do espectador da CMTV mostra que há mais homens (61 por cento) a ver a estação, são sobretudo espetadores nas regiões Centro (32 por cento), Grande Lisboa (24 por cento) e Norte (21 por cento), entre os 35 e os 64 anos. Quanto às classes sociais, os espetadores da CMTV estão em linha com a tipologia de classes que mais consomem televisão, isto é, C, D e E.

“A nossa essência é a televisão em direto. Entramos em direto com uma facilidade inusitada onde quer que se justifique. O nosso crescimento é sustentado, mas face à grelha e aos objetivos, assim como a um reposicionamento da concorrência vamos começar a crescer de forma mais lenta”, afirmou Octávio Ribeiro.

Feito o balanço destes primeiros seis meses e estando confirmado que havia espaço para mais um canal, o administrador da CMTV Luís Santana identifica agora como principal objetivo perceber como é que este canal se poderá tornar apetecível na vertente comercial.

A administração da CMTV reconhece que nos últimos dois meses houve uma retoma ligeira ao nível da publicidade, mas espera que a situação comece a melhorar daqui para a frente.

“Os projetos da Cofina caracterizam-se sempre por um grande rigor financeiro. É verdade que nos primeiros tempos passámos por momentos mais difíceis, mas neste momento o projeto está completamente dentro do budget”, explicou Paulo Fernandes.

A CMTV celebrou seis meses de emissão no passado dia 16 de setembro; o canal é emitido no Meo, com a qual tem um contrato de exclusividade de dois anos.

Fonte: Briefing
Foto: Sérgio Lemos/Correio da Manhã

 

Segunda-feira, 23 Setembro 2013 12:10


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor