Marcas, celebridades e redes sociais: fala quem sabe

Inês Mendes da Silva e Tiago Froufe, GlamA gestão de carreiras de atores, apresentadores, músicos e desportistas e a sua presença nas redes sociais é cada vez mais profissionalizada. É também uma oportunidade para as marcas se mostrarem. Inês Mendes da Silva, que criou um departamento corporate na agência Glam, e Tiago Froufe, responsável pela gestão online de Cláudia Vieira e Cristina Ferreira, explicam como se consegue ter sucesso. Um dos seus cartões de visita é o blogue DailyCristina.com, que no primeiro mês passou os cinco milhões de visualizações. 

Briefing | Quando é que se iniciaram nesta atividade de gestão das carreiras?

Inês Mendes da Silva | Desde que comecei o curso de Comunicação Social na UCP que estive ligada a projectos de televisão de várias formas, através de estágio na produção Nacional da TVI ou de programas como o Gato Fedorento. Paralelamente, iniciei o meu percurso profissional em agências de comunicação, nomeadamente a Lift Consulting, onde trabalhei várias marcas. Em 2008, acabo por integrar o departamento de Publicists de uma agência de gestão de imagem de apresentadores, modelos e actores, onde geria a assessoria de imprensa e endorsements de um board de cerca de 50 figuras públicas, com nomes como Cláudia Vieira, João Manzarra, Raquel Strada, Daniela Ruah, Jessica Athayde, Andreia Rodrigues, entre muitos outros e onde viria a ter a oportunidade de explorar o mercado das marcas em conjunto com as ‘celebridades’. Já em 2012, acabo por criar um departamento Corporate na agência Glam, que pretende focar-se precisamente em projetos para as marcas.

Tiago Froufe | Trabalhei durante alguns anos em produtoras de conteúdos para televisão mas em 2009 decidi focar-me no que era a minha área, a comunicação. Esse percurso tornou-se importante para perceber, já em agência, o potencial do fenómeno social tv na altura a explodir em Portugal. Nessa altura, decidi abordar a ENDEMOL e apostámos nesta área em conjunto com a estreia da Casa dos Segredos em 2010, o primeiro programa a desenvolver uma estratégia de social media em Portugal. Daí até perceber que o futuro do entretenimento estava em prolongar os programas de TV para mais uma plataforma, foi simples. Perante o seu sucesso, este projeto tornou-se um case para muitos outros como o início da presença nas redes sociais de dois dos apresentadores mais mediáticos e com mais espaço em antena: Cristina Ferreira e Manuel Luís Goucha.

Briefing | Qual foi o primeiro projeto e quantas “carreiras” é que gerem hoje?

IMS | O projeto mais presente e mais elucidativo é o blogue DailyCristina.com. Surge a partir de uma vontade comum de trabalhar a apresentadora Cristina Ferreira do ponto de vista da imagem e do contacto com os fãs e da própria vontade da apresentadora em ter um projeto deste tipo. Com uma comunidade tão grande de telespectadores e de seguidores online, considerámos fundamental encontrar um espaço maior onde a apresentadora pudesse comunicar com os fãs já que o Facebook, em termos de estruturais, de software, não nos parecia suficiente. Ao mesmo tempo, apercebia-me que para as próprias marcas este poderia ser um balão de oxigénio, na medida em que lhes ofereceríamos novas oportunidades para os seus planos de comunicação e marketing.

TF | Neste momento faço a gestão da presença online da atriz e apresentadora Cláudia Vieira e da também apresentadora Cristina Ferreira, com o blogue Daily Cristina.

Briefing | Qual o papel que as redes sociais têm nesta gestão?

IMS | Hoje em dia já não posso pensar em estratégias de comunicação e gestão de carreira de um ator ou apresentador sem considerar as redes sociais. Cada vez mais integramos nas propostas dos nossos clientes a parte online – sabemos que, nos dias de hoje, uma marca que não esteja presente em território virtual, não existe.

TF | As redes sociais permitem-nos ter uma rápida noção do impacto que determinada figura pública ou determinado conteúdo do programa de TV está a ter junto do grande público. No caso dos atores torna-se muito interessante, uma vez que serve de barómetro de avaliação da sua personagem, por exemplo. Mais interessante ainda para quem cria e desenvolve os conteúdos. Os canais deveriam dedicar mais atenção a estes dados e trabalhar os conteúdos mediante o feedback. No projeto Casa dos Segredos fizemo-lo e com bastante sucesso. Perceber, em real time, o impacto de cada ordem da Voz e poder trabalhar os conteúdos mediante o feedback do público é extraordinário. Por diversas vezes, víamo-nos obrigados a alterar o alinhamento do dia, em segundos apenas, porque o público, indiretamente, o comandava.

Briefing | E os blogues? São complementares ou diferentes do Facebook ou do Twitter, por exemplo?

IMS | Na minha área, de agenciamento, criação e implementação de projetos para marcas, são complementares. Embora não tão imediatos e espontâneos como um post de ‘status’, oferece-me mais possibilidades de pensar em ações diferentes, pela própria configuração técnica do suporte.

TF | Os blogues são sempre complementares, só assim faz sentido. Tanto o Facebook como o Twitter têm a sua linguagem e o que fazemos é integrar o mais possível toda a presença e uniformizá-la. Quando desenvolvemos uma proposta junto de uma marca temos uma estratégia definida para cada plataforma para que possamos ter o maior impacto possível e oferecer igualmente o maior retorno possível, para isto sabemos como o fazer em cada fragmento. Até porque, nas diferentes plataformas, encontramos diferentes públicos. No final conseguimos uma combinação harmoniosa.

Briefing | Qual o segredo para conseguir 700 mil likes num blogue, como é o caso do blogue da Cristina Ferreira?

IMS | A Cristina Ferreira é muito dedicada aos fãs e alimenta muito as redes. Lê todos os comentários e conhece o seu público: o das manhãs, o dos programas de Domingo e o do blogue. Essa consciência e esse trabalho diário são fundamentais.

TF | Quando arrancámos com a página de Facebook da Cristina Ferreira em 2011 fizemo-lo para apoiar o programa da manhã da TVI. Pensámos avançar com uma página do programa mas decidimos avançar com páginas individuais dos apresentadores, é certo que a página do programa teria sucesso mas não tanto como feito com as duas individualidades. A dupla resulta pela empatia que tem, pelo pingue-pongue que faz e pelo ritmo que imprime ao programa. Os telespectadores gostam disso. Nas redes sociais apostámos na mesma estratégia e, uma vez mais, revelou-se eficaz. Os mais de 700.000 seguidores encontram-se na página pessoal e profissional da apresentadora – Cristina Ferreira – TVI – e a página associada ao Daily Cristina conta já com cerca de 183.000 seguidores. No primeiro mês o blogue Daily Cristina passou os 5 milhões de visualizações, estabilizando nos meses seguintes com uma média de 2,5 milhões e cerca de 300.000 unique viewers. É o blogue português mais visto.

Briefing | Como é que produzem e gerem os conteúdos? Há uma equipa específica? O ator/atriz dá ideias?

IMS | Temos uma equipa específica que procura diariamente novos conteúdos e sugere ao autor do blogue, cruzando também esse blog com momentos da carreira: estreia de um novo programa, participação numa nova campanha de publicidade, notícias da atualidade, produções temáticas ou posts elaborados para marcas. No Daily Cristina há um cuidado estético que acreditamos diferenciador.

TF | A gestão e a produção de conteúdos do Daily Cristina é feita por uma equipa fixa: eu assumo a área digital, a Inês Mendes da Silva a gestão do projeto e a ponte com as marcas, uma make-up artist, uma equipa de vídeo, uma stylist e uma fotógrafa. No caso deste projeto em específico, a blogger é muito participativa, está envolvida desde o processo criativo até ao momento da publicação.

Briefing | Que potencialidades é que ainda há por explorar em meios como o Facebook?

IMS | Respondendo no geral, neste mercado do agenciamento de talentos, julgo que ainda há trabalho a fazer. Gerir os conteúdos de uma página pública exige tempo e dedicação. É preciso investir muito mas o retorno é garantido.

TF | Ainda há muito para explorar. Cada marca e cada personalidade devem ser trabalhadas mediante as suas especificidades e a partir dessas delinear a estratégia certa para os seus objectivos.

Briefing | Que conselhos é que costumam dar a quem vos procura pela primeira vez?

IMS | O que fazemos mais é perceber a personalidade, a disponibilidade e os interesses dessa pessoa. Se percebermos que se interessa muito por estilos de vida saudáveis, por exemplo, pensamos num projeto, online ou offline, que seja inovador e que possa agradar à sua comunidade e ao seu público. É importante também detetarmos a vontade e a disponibilidade de que falava em cima porque, apesar de nos apetrecharmos de uma equipa especializada, impomo-nos sempre que o projeto tenha um cunho pessoal, que exista verdade no conteúdo. Acredito que há uma relação direta entre a entrega do autor e o sucesso do projeto.

TF | Temos de pensar em conjunto, projetos destes só fazem sentido assim. É fundamental conhecer-se bem a pessoa, perceber quais os objetivos ao dar este passo, e só depois pensar no projeto à sua medida.

hs@briefing.pt

Quinta-feira, 24 Outubro 2013 11:29


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor