Qual será o futuro do digital programmatic buying?

O futuro do digital programmatic buying foi o tema em análise num estudo da IPG Mediabrands, com o intuito de traçar o panorama desta tendência com enfase nos mercados da Ásia, Europa e América Latina. Segundo esta pesquisa, em Portugal o programmatic buying deverá representar cerca de70 milhões de dólares (cerca de 50.685 milhões de euros) em 2018, quintuplicando o valor estimado de 2014.

“The Internationl State of Programmatic” é o título do estudo, em que é traçada uma análise do programmatic buying, em 24 mercados, incluindo Portugal. Este é o primeiro estudo deste tipo lançado por um grupo de media, com dados e estimativas sobre o programmatic buying, a nível internacional.

O estudo identifica aspetos chave desta problemática, como a diferença entre Real Time Buying (RTB) e transações que não envolvem este indicador, targeting e inventário, assim como as vantagens e barreiras a programmatic buying.

Neste estudo são identificados os maiores benefícios da automatização, tanto para anunciantes como para publishers.

Segundo o estudo, num futuro próximo a maioria do inventário digital será transacionado através de programmatic buying, nomeadamente através de RTB.

A Magna Global prevê um crescimento anual médio do programmatic buying de 31% até 2017 e de 38% no caso específico do RTB.

Em Portugal, o programmatic buying deverá totalizar os 20 milhões de dólares (cerca de 14.481 milhões de euros) em 2014 e perto de 70 milhões em 2018.

As conclusões do estudo são fruto de entrevistas e análises junto de representantes de agências, DSP, publishers, relatórios já existentes da MAGNA GLOBAL e informação pública disponível.

briefing@briefing.pt

Terça-feira, 22 Abril 2014 10:34


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor