Blogs e marcas: uma questão de influência

Blogs e marcas: uma questão de influênciaOs bloggers estão a assumir um papel mais ativo nas campanhas e as possibilidades de interação das marcas com os seus seguidores multiplicam-se. Atualmente, os bloggers são convidados a participar em eventos, lançamentos, programas de rádio e TV, feiras e mercados… e até já existe um programa de TV dedicado exclusivamente aos blogs e aos seus autores.

Os blogues assumem cada vez mais um papel fundamental na sociedade enquanto comunicadores, informadores e formadores. Mas são os blogs uma moda ou um meio a considerar?

Nestes últimos anos, os blogs estão a viver uma segunda época dourada. Tiveram um primeiro impacto a partir de 2006-2007 e parecia que com o aparecimento das redes sociais iriam perder força. Mas aconteceu exatamente o oposto. As redes sociais começaram a potenciar o seu crescimento, acrescentando distintos touchpoints dos bloggers com os seus seguidores. Além dos seguidores dos blogs, temos agora seguidores nas páginas Facebook, Instagram, Pinterest e Youtube, potenciando a difusão dos seus conteúdos. Além disso, os bloggers têm saído da comunicação puramente web passando a serem encarados por algumas marcas como verdadeiras celebridades e ícones.

A grande mais-valia dos blogs é que têm conseguido uma coisa que muitas marcas lutam por conseguir (e quase nunca conseguem): fãs, mas verdadeiros fãs, pessoas que os seguem diariamente, que partilham as mesmas preocupações e os mesmos sonhos. Até ao ponto de passarem de líderes de opinião (opinion leaders) a geradores de opinião (opinion makers), com os seus seguidores a responderem de forma ativa aos convites lançados por estes. A sua comunicação pessoal e passional tem sido a chave do sucesso dos mesmos. Têm conseguido criar verdadeiras comunidades à sua volta, através do reforço dos laços com os seus seguidores, mediante a criação de verdadeiras conversas e de uma partilha de vidas e experiências.

Além disso, os blogs permitem-nos algumas possibilidades muito importantes para as nossas campanhas:
• Segmentação da audiência. Existem blogs de todos os temas e, por isso, conseguimos dirigir a nossa comunicação de uma forma muito simples e efectiva.
• Facilidade na medição de resultados. Medição esta que verifica resultados acima da média de outros tipos de suportes.
• Uma última situação é a criação de links que perduram ao longo do tempo e que ajudam ao posicionamento de produtos e marcas na realização de pesquisas ativas, por parte dos utilizadores.

Contudo, existem alguns perigos que devemos considerar. A inserção de publicidade fora do contexto habitual do blog e o excesso de publicidade podem desviar a atenção dos seus seguidores. De facto, os blogs não foram criados, nem têm como objetivo principal a geração de receitas através de publicidade. Os blogs nascem de uma necessidade de comunicar por parte dos seus criadores. A criação de um blog e a conquista da sua audiência é um trabalho duro e exigente, capaz de demorar muito tempo, podendo ser totalmente prejudicado com uma má escolha em termos publicitários, como já tem acontecido. Pelo que é muito importante, tanto para as marcas como para os próprios blogs, serem coerentes com as suas escolhas.

Mas o futuro é prometedor para os bloggers e para as marcas. Obviamente, apenas alguns vão conseguir fazer dos seus blogs a principal fonte de receitas. Contudo, os blogs vão continuar a oferecer possibilidades diferentes e cada vez mais interativas de potenciação da relação das marcas com o seu target. Vão continuar a influenciar os seus leitores e a mudar as formas de comunicar com eles. Seremos testemunhas de novas possibilidades mas tendo sempre este prescritor, este influenciador, este blogger no centro da ação.

 

Quinta-feira, 04 Setembro 2014 12:08


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor