Organizações não estão preparadas para ataque cibernético

É esta a conclusão do estudo anual da EY Global Information, segundo o qual 67% das organizações mundiais enfrentam ameaças crescentes de segurança online e 37% não têm informação em tempo real para combater as ameaças de cibercrime.

No total foram consideradas 1.825 organizações de 60 países e a principal causa apontada para falhas de segurança foi a falta de sensibilização e descuido por parte dos próprios colaboradores das empresas (38%).

Relativamente a ameaças, a mais preocupante para os entrevistados é o roubo de informação financeira (28%), seguindo-se a perturbação da imagem da empresa (25%) e ainda o roubo de dados (20%).

Em comunicado, a EY defende que só é possível desenvolver uma estratégia se houver conhecimento para antecipar o cibercrime. Uma medida difícil de implementar, já que a maioria das organizações não tem uma gestão de segurança definida.

A EY é uma empresa internacional com serviços de auditoria, assessoria fiscal, assessoria de transações e assessoria de gestão.

fibra@briefing.pt

Quarta-feira, 12 Novembro 2014 11:51


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor