O amor entre os homens

O futebol tem destas coisas. Portugal ganha 3-3 à Espanha e dois homens que mal se conhecem partilham um momento inesquecível. Falo daquele livre do Cristiano Ronaldo aos 87 minutos. Foi no café Parque. Eu e o senhor Manuel gritámos ao mesmo tempo, como se tivéssemos ensaiado a semana inteira. A seguir, veio aquela troca de olhares: esbugalhados, enfurecidos e, ao mesmo tempo, apaixonados. Eu, de punhos cerrados, boca aberta para uma nata. Ele, de braços no ar, soltos, algo bambos, a dar saltinhos sem sair do chão. Durante 15 segundos tive à minha frente um Paolo Rossi careca e de óculos. Apesar de não nos termos abraçado, havia um balcão de duchesses, delícias e mil folhas entre nós, vimos os nossos olhares enrolarem-se freneticamente num climax digno de Thelma e Louise.

 

O que eu vivi naquele dia é aquilo que serve de insight à campanha da TyC Sports. Fala-nos sobre as manifestações de amor entre os homens quando o assunto é futebol. Num tom irónico, expressa a paixão desmesurada dos argentinos, podia bem ser dos portugueses, pelo desporto rei. Mas a agência argentina Mercado McCann foi mais longe e juntou ao insight o contexto homofóbico que se vive na Rússia, abrindo diálogo com o líder. “Senhor Putin, sabemos que o seu país não admite manifestações de amor entre os homens. Estamos com problemas!“. Mais à frente, acrescenta: “Se para si, o amor entre homens é uma doença, nós estamos muito doentes. E é contagioso!”. No final, ainda somos brindados com uma animação apoteótica, um PUT IN, assim mesmo, separado, para aquecer os ânimos.

Insight, contexto e uma mensagem que ultrapassa o âmbito do que seria apenas mais uma campanha sobre futebol, estabelecendo um propósito para a marca. Nota final para a música, que enfatiza todo o dramatismo.

Dito isto, acho que já adivinharam qual é a minha aposta para edição de Cannes 2018

 

briefing@briefing.pt

Quarta-feira, 20 Junho 2018 09:57


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor