A alma da Sisley abre-se em Lisboa

“Expressa a alma da marca, não o ADN”. É assim que o presidente da Sisley, Philippe d’Ornano, descreve a Maison Sisley, conceito que chegou oficialmente a Lisboa esta terça-feira, 29 de novembro.

É uma Maison que, além da alma da marca, reflete igualmente a cidade. A prova está no painel cromático que ocupa toda uma parede do lounge: uma pintura que interpreta criativamente as caravelas da expansão marítima portuguesa. Mas está, igualmente, na obra de Bordalo II que encima a escadaria que conduz ao patamar superior.

A ligação da marca à arte está patente em toda a Maison, não só na de Lisboa, como nas restantes nove existentes na Europa. É o reflexo das escolhas da cofundadora da Sisley, Isabelle d’Ornano, que cede sempre algumas das suas obras particulares para transmitir o espírito da sua casa e da família a cada Maison.

Falando na inauguração da Maison Sisley Lisboa, o presidente da empresa sublinhou que, não obstante o mundo estar a mudar e o digital estar a ganhar peso, a marca continua a acreditar no contacto pessoal e nos produtos que se podem cheirar e se podem tocar. O foco é, igualmente, colocado na oferta do melhor serviço, o que – sublinhou – significa encontrar o produto certo para a pessoa certa.

A Maison de Lisboa abre-se, precisamente, com o propósito de levar mais longe esse serviço, num espaço com luxo, mas, sobretudo, com conforto. Como em casa.

Distribuída por dois pisos, oferece no de entrada uma montra dos produtos de cosmética e maquilhagem desenvolvidos pela marca francesa criada em 1976 por Hubert d’Ornano, pai do atual presidente.

O lounge onde pontuam visualmente os Descobrimentos portugueses acolhe os visitantes antes de subirem ao piso onde tudo acontece: os tratamentos de cuidados de corpo e cabelo. E, aqui, reside uma das particularidades da Maison de Lisboa: é uma das três com uma cabina dedicada exclusivamente a tratamento capilar. As de Milão e Bruxelas são as que partilham esta distinção.

Em todas as cabinas, há elementos comuns, além do conforto óbvio: na decoração do teto, o destaque vai para elementos que remetem para o ginkgo biloba, ativo vegetal muito presente nas fórmulas da marca; enquanto as paredes mimetizam o tecido da pele, com ligeiros apontamentos dourados a marcar as linhas onduladas das células.

Nas palavras do diretor-geral da Sisley Portugal, Luís Caeiro de Sá, “é um projeto único que glorifica a marca”.

 

 

fs@briefing.pt

Quarta-feira, 30 Novembro 2022 12:18


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor