O que é que a MWA tem? Paixão pelo vinho, garante Cláudio Martins

Foi em 2014 que Cláudio Martins, e a irmã, Micaela, lançaram a Martins Wine Advisor (MWA), movidos pela missão de colocar os vinhos nacionais num patamar superior. Uma missão que está em crescimento: na ordem dos 80% este ano, face a 2021. E que, segundo o fundador, dará ao mercado mais Wines from Another World e mais Humanwinety.

Briefing | Como consultora de vinhos, o que diferencia a MWA?

Cláudio Martins | O nosso grande objetivo é, e será, a satisfação dos nossos clientes, mas também o bem-estar com os nossos parceiros nas mais diversas áreas de negócio, e, acima de tudo, a alegria da nossa equipa, pois só assim conseguimos partilhar a nossa paixão e o nosso profissionalismo. Equipas motivadas são mais criativas e produzem mais e melhor! Na MWA, acreditamos que são as equipas que fazem os líderes. Penso que essa é a parte diferenciadora da nossa empresa, e, obviamente, a diversidade de soluções e prestações que estão disponíveis na MWA, assim como a forma de estarmos sempre à procura de nós superarmos a nós mesmos! É um desafio diário.

Como tem evoluído o portefólio de serviços prestados?

O nosso portefólio continua a ser cada vez mais diversificado, desde a construção de garrafeiras privadas, importação de vinhos estrangeiros, distribuição para os diferentes canais, Horeca e privado, plataforma de vendas de vinho online, desenvolvimento de conceitos como o Wines from Another World, projetos de inclusão social como a Humanwinety, entre outros: parar é morrer, já diziam os meus avós. E, subjacente a tudo, a nossa vontade de posicionar os vinhos portugueses no patamar a que têm direto: entre os melhores do mundo!

E o de clientes?

Os nossos clientes – que se tornam amigos – também têm vindo a crescer de forma sustentável; existem nas mais diversas áreas e gostamos de os surpreender cada vez mais com novas soluções e ofertas. 

Em que medida é que a consultoria de vinhos é valorizada pelo canal Horeca? 

Portugal e os clientes do canal Horeca estão, cada vez mais, dispostos a incluir nas cartas de vinho e nas suas seleções vinhos internacionais e vinhos portugueses menos conhecidos, mas com potencial tremendo e, na MWA, nós queremos ser especialistas nesse setor. Existem já algumas empresas a fazê-lo no mercado e bem feito, não queremos ser mais um player, queremos ter vinhos que vão ao encontro das necessidades dos nossos clientes e do consumidor em geral, mas surpreende-los e anteciparmo-nos.

E quanto aos clientes particulares? Em que contexto solicitam consultoria?

O nosso core business sempre foi o cliente particular, gostamos de estar com eles, de nos sentar à mesa e falarmos de tudo e mais alguma coisa enquanto saboreamos uma garrafa de vinho. São bons momentos de partilha e em que o negócio passa a ser muito mais do que isso, são laços de amizade que se criam, e é isso que nos dá alegria. 

Um dos projetos mais recentes e distintivos é o Wines from Another World. Como surge? E o que tem trazido à MWA?

Penso que traz reconhecimento a nível nacional e internacional, graças à nossa equipa apaixonada e crente, que todos os dias coloca toda a energia para que este projeto seja “O projeto”. Começou com um vinho português e vai acabar com um vinho português, o que está a fazer com que o setor dos vinhos olhe para uma categoria que não existia, que é a categoria de super premium ou luxury nos vinhos.

Com 2022 a fechar, qual o balanço?

Um ano de muitos momentos bons, e outros não tão bons, mas faz parte das nossas aprendizagens; os menos bons são aqueles em que tenho que me penitenciar porque exige algo que, por vezes, não é possível. Porque a equipa da MWA esforça-se, mas começa a ser curta para tantas atividades em que estamos presentes e bastante ativos. 2022 foi um ano em que crescemos cerca de 80% comparado a 2021, foi o ano em que nasceu um dos grandes projetos que vai ser mais do que vencedor nos próximos anos, a Humanwinety [Este é um projeto em parceria com o enólogo Bento Amaral, com o propósito de promover a inclusão no negócio do vinho e no turismo].

O que pode o mercado esperar da MWA em 2023?

Mais paixão, mais atividades, mais serviços, mais projetos inovadores, uma nova marca de vinho do Dão, mais um vinho (ou dois) do Wines from Another World, mais garrafeiras bonitas em parceria com a Flats and Houses by Cláudia Borges, mais grandes eventos, mais dedicação, mais arrelias, mais colaborações. E gostaria de ter mais tempo, não só para desenvolver mais projetos, mas, principalmente, para os meus, aqueles que me rodeiam e me apoiam incondicionalmente, mas que, por vezes (muitas vezes), não têm oportunidade de desfrutar de momentos mais relaxantes e calmos comigo. Preciso de mais tempo, se desse para aumentar uns dias do fim de semana ou mais umas horas agradecia…

Em resumo, o mercado pode esperar da MWA em 2023 mais, muito mais, mas sempre com qualidade, sustentabilidade e responsabilidade. 

briefing@briefing.pt

Quinta-feira, 15 Dezembro 2022 12:25


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor