Que marca deixa a família na Arcádia? Francisco Bastos é que sabe

“Somos os olhos, os ouvidos e a boca da marca”. A afirmação é do administrador da Arcádia, Francisco Bastos, e remete para a importância da família para a empresa, que já está na quarta geração. O mais importante – realça – é garantir que os valores e a história da marca são preservados e acompanham a inovação.

Observa que a família Bastos é a última responsável por tudo o que envolve a marca de chocolates, cuja história começou em 1933, com o seu bisavô: Manuel Pereira Bastos. Foi no centro do Porto que abriu um salão de chá, que viu nascer e crescer uma confeitaria de fabrico próprio hoje reconhecida sobretudo pelos bombons e línguas de gato.

Se família é “a inspiração e liderança da empresa”, os colaboradores são a sua força. Considera o legado familiar “muito importante” para preservar os valores tradicionais da marca, sendo a sua missão amplificá-los junto de todos os que têm contacto com a Arcádia: colaboradores, clientes e parceiros. Em simultâneo, assume a responsabilidade de inovar e fazer com que a marca se mantenha relevante ao longo do tempo e das gerações. “Como família, naturalmente vamos buscar muita força às gerações anteriores que estiveram à frente da Arcádia para levarmos a cabo a nossa missão e dar continuidade e crescimento a este projeto”, diz.

Mas, o que é diferenciador numa empresa familiar? Francisco Bastos encontra um sentido de missão especial, que tentam passar todos os dias a quem faz parte da empresa. “Sentimos que existe orgulho em representar a marca, e que isso vai passando de geração em geração”, comenta, adiantando que o encontro familiar entre o passado e o presente é visível não só na liderança da empresa, mas também nas equipas e em muitos clientes. “São muitas as histórias e os laços familiares que encontramos nos nossos escritórios, nas nossas equipas de produção e nas nossas lojas – e isto é o que torna a Arcádia uma empresa verdadeiramente familiar”, sustenta.

É passando o testemunho de geração em geração e garantindo que cada uma cumpre a sua missão de tornar a marca relevante ao longo do tempo que se combina o pendor familiar com o crescimento da empresa, que tem atualmente mais de 30 lojas em todo o País, além de e-commerce.

Nos seus quase 90 anos de história, a Arcádia passou por tempos sociais, políticos e económicos “muito diferentes”, e, “acima de tudo, por gerações que constantemente mudaram os seus comportamentos”. Administrador desde 2019, Francisco Bastos entende como principal missão de cada geração ao comando da empresa ajustar a marca aos seus tempos. Desde os produtos, às embalagens, aos espaços, à comunicação, às pessoas, à tecnologia, aos diferentes canais de venda e de marketing, sendo que o mais importante “é garantir que os valores e a história da marca são preservados e acompanham a inovação”.

E para uma marca familiar – e de chocolates, que tem disponíveis 70 tipos de bombons – o Natal não podia deixar de ser fundamental. “É o momento mais especial do ano para nós, a par com a Páscoa”, afirma. “É um momento de celebração, de partilha, de encontros, de família. E a Arcádia faz parte de tudo isto. A nossa marca tem uma ligação emocional muito forte com os clientes e é nos momentos especiais que queremos estar mais presentes junto das famílias portuguesas”, remata.

 

sd@briefing.pt

 

Quinta-feira, 12 Janeiro 2023 12:53


PUB

PUB

2050.Briefing

À Escolha do Consumidor