Bióloga alerta para o risco de perda de biodiversidade

A perda de insetos polinizadores, nomeadamente de abelhas, pode fazer com que a biodiversidade e os alimentos se tornem mais escassos. O aviso é da vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Entomologia, Carla Rego. As alterações climáticas e o uso de pesticidas são algumas das razões que ajudam a explicar este fenómeno.

Abelhas

A bióloga refere que a polinização está a diminuir devido à perda de insetos, que são os principais agentes para este  fenómeno que promove a fertilização e a produção de sementes. Segundo Carla Rego, que coordena o projeto da primeira Lista Vermelha dos Invertebrados em Portugal, no País há pelo menos 740 espécies de abelhas, embora oficialmente sejam 724.

Segundo a cientista, entre 57% e 60% das plantas cultivadas dependem destes seres vivos. Além destas, muitas frutas, tais como os morangos, também necessitam deles.

A investigadora apresenta o exemplo da China, que “foi dos primeiros pontos do globo a confrontar-se com a ausência de polinizadores, devido ao uso indiscriminado de pesticidas, e já são pessoas que estão a fazer a polinização”.

Alterações do uso dos solos, agricultura intensiva, pesticidas, inseticidas e herbicidas e espécies invasoras são algumas das causas que levam à diminuição de insetos. A estas, Carla Rego acrescenta as alterações climáticas, havendo espécies com menos tolerância térmica, os fenómenos climáticos extremos, ou a poluição atmosférica e o excesso de luz artificial.

A profissional salienta, ainda, que é importante que as pessoas fiquem mais sensibilizadas para a importância destes animais, afirmando que este trabalho deve começar nas escolas.

Terça-feira, 06 Junho 2023 09:04


PUB