Julho regista o dia mais quente de sempre

O dia 4 de julho fica marcado como o mais quente alguma vez medido anualmente. Esta média supera o valor registado no dia anterior, que já tinha batido o recorde. O chefe de divisão de Clima e Alterações Climáticas do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Ricardo Deus, diz, ao 2050.Briefing, que esta é mais uma evidência de que se está a experienciar um novo clima à escala global.

Julho regista o dia mais quente de sempre

Os resultados foram divulgados por uma organização dependente da Agência Americana de Observação Oceânica e Atmosférica (NOAA). Este órgão refere que a temperatura registada foi de 17,18ºC, superando a barra da média dos 17ºC, que foi ultrapassada pela primeira vez no dia 3 desse mês.

Antes destes dois dias, o anterior recorde diário, que era de 16,92ºC, tinha sido estabelecido a 14 de agosto de 2016 e repetido a 24 de julho de 2022.

O cientista climático da Universidade do Maine Sean Birkle salienta que os números diários não são oficiais, mas são informação útil para o que está a acontecer no mundo, no que diz respeito ao aquecimento global.

Na perspetiva portuguesa, Ricardo Deus refere que o El Niño é uma das causas deste fenómeno, mas não é a única razão. A combinação aumento da temperatura do ar à superfície, em contexto de alterações climáticas, levou ao resultado ocorrido. Na opinião do meteorologista, é de esperar que o resultado da interação do oceano com a atmosfera promova uma probabilidade mais elevada de existirem novos recordes.

Em relação às consequências a longo prazo, o responsável do IPMA alerta para a possibilidade de um aumento da temperatura média global, ocorrência de precipitação intensa em períodos curtos com maior regularidade e uma maior persistência de secas meteorológicas, “com maior intensidade e extensão espacial”.

O especialista deixa ainda alguns conselhos para minimizar o impacto do calor extremo, nomeadamente: maximizar a eficiência da utilização da água, minimizar a utilização de combustíveis fósseis e otimizar o consumo de energias renováveis. Relativamente ao setor da saúde, aconselha a sensibilizar a sociedade para a adoção de hábitos de proteção, para enfrentar períodos de calor intenso.

Terça-feira, 18 Julho 2023 11:20


PUB