No futuro, seremos circulares

A atriz e fundadora do blogue Green Little Steps, Ana Varela, reflete sobre um futuro sem lixo através da aposta na economia circular.

O futuro não tem lixo. No futuro nada será desperdiçado, pois entenderemos que cada resíduo é um recurso. No futuro, o que hoje temos como “lixo” será transformado num novo produto, utilizado infinitas vezes, até ser, novamente, transformado. No futuro, não existirão aterros, nem incineradoras, pois percebemos que, ao desperdiçar “lixo”, estamos a perder ativos valiosos, tempo e dinheiro, numa economia linear. No futuro, teremos levado ao limite a Teoria de Lavoisier: “Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. No futuro seremos circulares.

Não podemos falar em circularidade sem falar na vida útil de um produto e no seu destino após utilização. O primeiro passo para a circularidade está em prolongar o ciclo de vida útil, reparando e reutilizando produtos para que atinjam a sua vida útil ideal ou optando por produtos em segunda mão. O segundo passo passa pela reciclagem. Em 2021, a taxa de reciclagem em Portugal manteve-se nos 21% (Fonte APA) e a taxa de circularidade (parcela de materiais usados provenientes de resíduos reciclados) foi de apenas 11,7% (Fonte Eurostat). Ocupamos os últimos lugares entre os estados membros da União Europeia, tendo ainda um longo caminho por percorrer.

É indispensável aumentar as taxas de reciclagem, separando os resíduos em casa e colocando-os nos respetivos contentores. Mas apesar das baixas taxas na reciclagem, são cada vez mais as soluções provenientes de materiais reciclados que nos chegam ao mercado: a ECO-X desenvolve detergentes ecológicos a partir da reciclagem de óleo alimentar; a Extruplás recicla, recolhe e recupera plásticos mistos, a partir dos quais produz mobiliário urbano; a Zouri Vegan Shoes transforma o plástico recolhido do oceano em calçado confortável. Devemos privilegiar a compra de produtos reciclados de forma a incentivar a sua produção. Por último e não menos importante: é indispensável (re)pensar o design dos produtos para a circularidade. A escolha do design e dos materiais vão ditar a aptidão de um produto para a reciclagem em fim de vida.

A circularidade reduz o peso da nossa economia no planeta. Ela deve ser o foco para 2023 para a criação de um futuro sem lixo.

Quinta-feira, 13 Abril 2023 09:06


PUB