Comunicação

Morreu Steve Jobs, co-fundador da Apple

jobs_-_peq

A Apple anunciou que Steve Jobs morreu. Numa declaração publicada no seu site oficial, a empresa diz que “perdeu um génio criativo e que o mundo perdeu um ser humano extraordinário”.
quinta-feira, 06 outubro 2011 01:13
 
Steven Paul Jobs, 56 anos, ficará para sempre associado à revolução no mundo digital com a criação de aparelhos que mudaram a forma de ouvir, ler e falar. Foi co-fundador, presidente e director executivo da Apple. Criou o Macintosh e lançou o iPod, o iPhone e o iPad.

Deixou a Apple em 1984 mas voltou dois anos depois para ser CEO, cargo que ocupou até este ano. Cessou as suas funções por doença. Sucedeu-lhe Tim Cook que, na terça-feira, apresentou um novo modelo de iPhone.

Desde fãs ou vizinhos a personalidades como Barack Obama ou Bill Gates, as homenagens ao “génio criativo” da empresa da maçã multiplicam-se. O presidente norte-americano, Barack Obama, lamentou a morte do co-fundador da Apple, lembrando-o como um dos “maiores inovadores” e um “visionário que o mundo perdeu”. “Ele transformou as nossas vidas, redefiniu indústrias inteiras e conseguiu uma das maiores proezas na história da humanidade: mudou o modo como vemos o mundo”, afirmou Obama.

Bill Gates, presidente da Microsoft, declarou estar “verdadeiramente triste” com a morte de Jobs, um “colega, concorrente e amigo”, de quem sentirá “muitas saudades”. “O mundo raramente vê alguém que teve o profundo impacto que Steve causou. Os efeitos disso serão percebidos por muitas gerações no futuro”, disse o executivo da Microsoft. Também Mark Zuckerberg, criador do Facebook, postou na rede social uma nota a lamentar a morte de Jobs: "Steve, obrigado por ter sido um mentor e um amigo. Obrigado por mostrar que o que você constrói pode mudar o mundo. Sentirei a sua falta."

A Google também homenageou Steve Jobs, com o nome do empresário logo abaixo da barra de pesquisa da página principal. Na sede da Apple, em Cupertino, Califórnia, as bandeiras estão a meia-haste e em Palo Alto os vizinhos deixaram flores e mensagens perto da casa onde o co-fundador da Apple morava. Fãs e funcionários da empresa prestaram homenagem em frente a lojas da Apple em várias cidades dos Estados Unidos e os utilizadores do Twitter agendaram, para as 21h locais de ontem, uma “vigília com iPhone”, no Dolores Park, em São Francisco.

Fonte: Apple/Terra/Folha de São Paulo/iG Tecnologia
(actualizado às 17h05)
sexta-feira, 21 outubro 2011 10:14

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing