Comunicação

APED: Assunção Cristas confia no sector da distribuição

APED: Assunção Cristas confia no sector da distribuição

No último dia do IV Congresso da Distribuição Moderna, organizado pela Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), Nuno Abrantes, vice-presidente da associação, salientou o facto de a distribuição operar e posicionar-se "num mundo onde tudo é efémero". Já Assunção Cristas, ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, revelou ter uma grande esperança e confiança no sector da distribuição.

quarta-feira, 18 janeiro 2012 11:09

 

Numa altura em que o consumidor é cada vez mais informado e exigente, Nuno Abrantes revelou a importância de se ter a noção de que as "pequenas vitórias são efémeras", sendo necessário "ter uma visão global" do sector. Neste sentido, as empresas devem ter um pensamento estratégico e global, de modo a serem mais eficientes e responderem aos desejos e necessidades dos consumidores.

Por isso, o desafio que Portugal tem pela frente "é imenso", pois a população mundial aumentará, o que traz, desde logo, novas necessidades aos consumidores, cada vez mais exigentes, adiantou Assunção Cristas. E com os novos desafios que se apresentarão, "a distribuição será essencial" para poder dar resposta.

A ministra da Agricultura evidenciou que, desde os inícios de 90, o mercado português sofreu uma grande evolução a qual se deveu, muito em parte, à agricultura. Hoje, em Portugal, e ao contrário do que se diz, a "agricultura não está abandonada" mas sim "diferente". Com a produção organizada, os agricultores portugueses têm mais oportunidade para se juntarem e, assim, poderem dar resposta ao que há falta no mercado, refere a Assunção Cristas.

O objetivo da distribuição é encontrar o que há de melhor ao melhor preço e, por isso, "o mundo da distribuição tem feito um trabalho conjunto com a produção". "É necessário trabalhar em conjunto", frisou Assunção Cristas. Neste sentido, foi criado pelo Governo a Plataforma de Acompanhamento das Relações na Cadeia Agroalimentar (PARCA), cujo objetivo máximo passa por "fomentar o diálogo e procurar soluções". Neste sentido, Assunção Cristas fez saber: "Olho para este sector [da distribuição] com uma grande esperança e uma grande confiança".

Catarina Caldeira Baguinho
Fonte: Briefing

quinta-feira, 19 janeiro 2012 12:22

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing