Comunicação

Como a ZON Multimédia se tornou líder

A ZON Multimédia é a única empresa portuguesa na área das tecnologias, media e telecomunicações (TMT) que, entre 2007 e 2012, registou um crescimento "expressivo, simultaneamente em termos de ativo, volume de negócios e número médio de pessoal", refere um estudo do Centro do Estudos de Gestão e Economia Aplicada (CEGEA) da Faculdade de Economia e Gestão da Católica Porto divulgado na quinta-feira.

quinta-feira, 28 novembro 2013 13:16
Como a ZON Multimédia se tornou líder

O estudo, intitulado "Caracterização dos principais grupos económicos de comunicação social e sua evolução no período 2007-2012", abrange grupos empresariais que publicam jornais e revistas, disponibilizam serviços de rádio e televisão e que, embora atuando essencialmente na área das telecomunicações, operam também serviços de televisão ou outros meios de comunicação.

O documento diz que num período marcado por grandes alterações – reestruturações, perdas de receitas de publicidade e redução de tiragens –, destaca-se pela positiva a ZON Multimédia. Recorde-se o período do estudo não abrange a operação de fusão concretizada este ano entre a Optimus e a ZON.

No que toca a indicadores de rendibilidade, os grupos ZON Multimédia, a Media Capital e a Sonaecom mantiveram sempre taxas de rendibilidade positivas. Olhando para a rendibilidade operacional do ativo, em 2012, o grupo Cofina registou 9,4 por cento, embora este indicador reflita a quebra no valor do ativo, decorrente da redução do justo valor da participação que a empresa detinha na ZON Multimédia.

O estudo realça que os grupos que lideram na rendibilidade são significativamente diferentes entre si. Enquanto a Media Capital atua essencialmente na área dos media, com enfoque no segmento audiovisual, a ZON Multimédia e a Sonaecom são grupos centrados no negócio das telecomunicações, revestindo os meios detidos por este último grupo (jornal Público e Rádio Nova) um caráter residual.

Esta diferenciação é evidente, designadamente ao nível das aplicações de recursos em cada uma das áreas de negócio. Em particular, entre 2007 e 2012, os grupos Sonaecom e ZON Multimédia realizaram nos segmentos Telecomunicações e Triple-play, respetivamente, investimentos médios anuais em ativos fixos tangíveis que representam mais de 70% do total dos ativos afetos pelo grupo Media Capital, em 2012, ao segmento Televisão e ultrapassam em mais de 35% o total dos ativos dedicados a esta atividade, neste ano, pelo grupo Impresa.

No que toca à evolução do volume de negócios – à exceção do grupo ZON Multimédia – todos os grupos analisados registaram um decréscimo em 2012. A maior quebra face ao exercício anterior foi sentida pelo grupo Media Capital (menos 29,9 por cento).

No que diz respeito, em particular, ao ano de 2012, há que referir que os grupos económicos analisados foram responsáveis por um volume global de negócios de 2 418 milhões de euros, empregaram 9 505 pessoas e geriram ativos que, no final do ano, totalizavam 4 808 milhões de euros.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

segunda-feira, 02 dezembro 2013 09:51

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing