Comunicação

Turistas europeus preferem meios digitais

Os modernos meios digitais suplantam os tradicionais na escolha dos destinos de férias dos europeus, segundo estudo coordenado pela Comissão Europeia. Mais de metade dos inquiridos (53%) afirmaram seguir recomendações de "websites" e media sociais, enquanto apenas 28% referiram catálogos, revistas, jornais e outros media profissionais.

segunda, 24 fevereiro 2014 11:32
Turistas europeus preferem meios digitais

Os trabalhos de campo, cujos resultados foram agora divulgados, decorreram em Janeiro e foram conduzidos pela consultora TNS. Abrangeram os 28 países membros da União Europeia e ainda Turquia, Macedónia, Islândia, Noruega, Sérvia, Montenegro e Israel. A amostra totaliza mais de 31 mil inquiridos.

A maior fonte de recomendação de destinos de férias continua a ser "amigos, colegas e próximos", com um valor de 56%. Os "websites" da Internet já representam 46% das recomendações. A maior parte dos inquiridos recorre a mais do que uma classe de fontes.

A "experiência pessoal" também é muito relevante (33%), enquanto apenas 19% dos inquiridos destaca "agentes de viagens e postos de turismo".

Na comparação com idêntico inquérito ("Preferências dos Europeus face ao Turismo") realizado em Janeiro de 2013, revela-se a subida, embora modesta (de 5% para 7%), dos media sociais e as descidas, também pouco expressivas, dos meios de comunicação tradicionais (de 9% para 8%) e dos agentes de viagens (de 21% para 19%).

As preferências dos portugueses não se distinguem, nestas matérias, da generalidade dos outros europeus. O povo que mais recorre aos "websites" (66%) é o finlandês e o que menos recorre (17%) é o montenegrino. Os media sociais são mais populares (14%) entre os turistas suecos e menos (3%) entre os húngaros.

O inquérito permite concluir que se mantêm relativamente estáveis as preferências dos turistas quanto às motivações para férias (estadas superiores a quatro dias), com "sol e praia" em primeiro lugar com 46%, valor que compara com 40% do ano anterior.

Seguem-se "visitas a familiares e amigos" (34%), "natureza" (30%), "cultura" (25%), "passeios urbanos" (23%), "actividades desportivas" (14%), "bem-estar" (13%), e "eventos" (8%). Na comparação homóloga registam-se crescimentos mais importantes nas motivações "natureza", "cultura" "passeios urbanos" e "actividades desportivas".

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

quarta, 26 fevereiro 2014 13:03

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing