Criatividade

Cultura nacional entra em cena

Marcas, empresas, fundações e entidades públicas e privadas juntam-se, agora, a artistas, num movimento nacional de apoio à cultura. Chama-se Portugal #EntraEmCena e promove o investimento direto a projetos artísticos.

quarta-feira, 01 abril 2020 10:17
Cultura nacional entra em cena

 

Sob o claim “entrar em cena hoje, para que a cultura tenha amanhã”, este marketplace digital permite que os artistas apresentem as suas ideias e recolham investimento “para as suas fases de conceção e desenvolvimento”.

Também as empresas e entidades públicas e privadas podem lançar desafios e receber propostas artísticas, escolhendo as que pretendem remunerar, no imediato e futuramente.

Atualmente, são dezenas as marcas que escolheram associar-se ao movimento, algumas das quais com um histórico de apoio e investimento em cultura. A Ageas, a Altice, o BPI – la Caixa, a Caixa Geral de Depósitos, a EDP, a Fidelidade, a Galp, o MEO, o Millennium BCP, o Montepio, a NOS, o Novo Banco, a Sagres, o Super Bock Group e a Vodafone são algumas delas.

Para a diretora de Comunicação Corporativa e Marca do Grupo Ageas Portugal, Inês Simões, “mais que nunca, este é o momento de dizer ‘sim’: ‘sim à importância que a cultura assume em manter as pessoas ligadas neste contexto de isolamento, através de emoções que atravessam ecrãs; ‘sim’ ao apelo e incentivo à criatividade e novas oportunidades para os nossos artistas do panorama nacional; ‘sim’, porque há mais  vida e futuro onde há arte e cultura”.

O diretor global de Marca, Marketing e Comunicação da EDP, Paulo Campos Costa, defende: “A cultura é um dos pilares estratégicos da EDP, que apoia muitos eventos ao longo do ano, não só em Portugal, mas também em outras geografias onde estamos presentes. Por isso, não podíamos ficar indiferentes a este movimento de apoio, sobretudo neste momento crítico provocado pela Covid-19”.

Do ponto de vista da Galp, refletido nas palavras da diretora de Marketing e Comunicação, Joana Garoupa, os artistas e talentos portugueses tornam-se “ainda mais relevantes”, em momentos como este. “Para assegurar que têm as condições certas para contribuir com novos projetos artísticos, tanto agora como mais tarde, unimos esforços nesta plataforma para mapear e identificar oportunidades. Todos juntos fazemos melhor”, sublinha.

Já a Diretora de Responsabilidade Social da Fidelidade, Ana Fontoura, diz que é no seguimento do nosso compromisso para que a vida não pare que a seguradora visa continuar a apoiar o setor das artes, “participando no desenvolvimento de iniciativas inovadoras como o movimento Portugal #EntraEmCena, que contribuem para mais investimento nos artistas e técnicos desta área”.

Com o objetivo de contribuir para a sustentabilidade cultural do país, a iniciativa representa, no seu lançamento, um investimento global superior a um milhão de euros em projetos artísticos – num teto máximo de 20 mil euros a cada.

O movimento surge em resposta ao “momento particularmente frágil dos artistas que viram as suas fontes de rendimento canceladas ou adiadas” e está integrado no programa OutSystems COVID-19 Community Response, da tecnológica portuguesa OutSystems, contando com o apoio institucional do Ministério da Cultura.

Empresas como a Academia de Código, a Casper, a Hi Interactive, a Lohad e a Outsystems deixam os seus contributos no “backstage” da plataforma, garantindo as questões técnicas associadas.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing