Entrevistas

"A importância das marcas de confiança é elevada"

“A importância das marcas de confiança é elevada”

Confiança é hoje a palavra-chave em domínios tão diversos como a reputação, a motivação de colaboradores e a gestão da relação com os stakeholders. Continua a ser uma das melhores receitas para enfrentar as crises. A propósito da Happy Conference e da confiança, Cristina Aragão Teixeira, head of marketing and communication da Novabase, fala sobre o assunto.

sexta-feira, 23 dezembro 2011 10:55



Briefing | Como é que a confiança é desenvolvida na empresa?

Cristina Aragão Teixeira |
A transparência, a integridade e o respeito pelas pessoas no seu dia-a-dia têm sido suportes fundamentais na vida da Novabase e isso tem criado a confiança necessária entre os seus stakeholders, sejam eles colaboradores, clientes, parceiros ou accionistas.

Por um lado, e sendo uma empresa cotada, adopta as boas práticas de governo das sociedades recomendadas pela CMVM, o que permite uma grande transparência na avaliação do seu desempenho.

Ao mesmo tempo, a Novabase tem feito da integridade (valores praticados) um dos principais pilares da sua credibilidade: entrega o que promete, colocando o cumprimento da promessa feita ao cliente em primeiro lugar.

Mesmo os valores que nos orientam têm por base o envolvimento do "eu" (pessoas/colaboradores) com o "nós" da empresa. São eles "eu dou" (entrega total), "eu ouço" (atenção ao outro), "eu ligo" (ao talento nos outros e em mim) e "eu cresço" (em competências, relações, experiências). Mas é necessário que cada colaborador se identifique em pleno com os estes valores porque eles não se impõem. São a definição de um modo de vida, de uma cultura, de uma pertença.

Consequentemente, é a prática dos valores pelos nossos colaboradores que vai permitir realizar a nossa Visão: tornar a vida das pessoas mais simples e mais feliz.

Por outro lado, a ligação destes valores ao serviço prestado (um serviço que integra conceito e acção, engenharia e consultoria, design e gestão), à atitude e capacidade de relação, à prática de rede e parceria entre diversas competências, tecnologias e negócios, e aos resultados que temos feito crescer apostando em mais talentos, mais geografias e mais inovação, permite também, gerar a confiança necessária à evolução, ao crescimento, ao sucesso.


Briefing | Porque é que a confiança é uma boa motivação para ultrapassar a crise?

CAT |
Porque é a confiança dos clientes e dos outros stakeholders que permite que a empresa mantenha o seu negócio e, como tal, estar melhor posicionada para ultrapassar uma crise. É certo que essa confiança assenta na transparência da relação mas também nas competências e no talento da empresa, na agilidade e na capacidade de adaptação a novas necessidades dos clientes, no investimento na inovação, no benefício entregue. No benefício mútuo que se constrói e que permite criar confiança.


Briefing | Qual a importância das marcas de confiança?

CAT |
As marcas só existem enquanto tal se tiverem a confiança dos seus consumidores. Uma marca só o é se tiver admiradores, seguidores.
No caso do sector dos serviços profissionais, a empresa é a marca. Mas o princípio não se altera porque a confiança naquela marca é a maneira como os seus stakeholders exprimem satisfação pelo comportamento da empresa. Seja comprando os seus serviços seja continuando a referi-la, partilha-la, escolhê-la.

A importância das marcas de confiança é elevada. As suas ofertas concretas de qualidade traduzem-se em benefícios consistentes para os consumidores, permitindo o desenvolvimento da economia. Até porque, muitas vezes, são as marcas de confiança que representam um país e contribuem fortemente para a sua credibilidade.

Fonte: Briefing

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing