Entrevistas

“Nada é tão lucrativo quanto a economia da confiança”

“Nada é tão lucrativo quanto a economia da confiança”
Confiança é hoje a palavra-chave em domínios tão diversos como a reputação, a motivação de colaboradores e a gestão da relação com os stakeholders. Continua a ser uma das melhores receitas para enfrentar as crises. A propósito da Happy Conference e da confiança, Elsa Carvalho, directora de recursos humanos da REN, fala sobre o assunto.

terça-feira, 03 janeiro 2012 00:00

Briefing | Como é que a confiança é desenvolvida na empresa?

Elsa Carvalho | Na REN, a confiança faz parte do alicerce da empresa. No entanto, este é um valor que não se constrói a curto prazo. A confiança é criada através de acções concretas tomadas todos os dias, em todos os níveis da empresa, quer ao nível da formação dos próprios colaboradores até à comunicação interna, onde procuramos alavancar os valores éticos e os códigos de conduta da empresa. A confiança é hoje um tema fundamental na gestão da relação com todos os stakeholders.

Briefing | Porque é que a confiança é uma boa motivação para ultrapassar a crise?

EC | Nada é tão lucrativo quanto a economia da confiança, principalmente em momentos de crise, em que a credibilidade e a reputação representam pilares fundamentais.

De qualquer forma, a cultura da confiança é uma prática que não está reservada apenas para os períodos críticos, mas que deve ser incorporada às estratégias de negócio e actividades das empresas assente em características fundamentais, como a transparência e a autenticidade. Está provado que quando a confiança é alta, os custos são menores e as suas operações ganham velocidade. Sem confiança e visão de futuro as pessoas tendem as gerir as preocupações do dia a dia e as actividades momentâneas com grandes custos a médio e longo prazo.

Briefing | Qual a importância das marcas de confiança?

EC | Num mercado onde se valoriza a especialização e a necessidade de ter factores de diferenciação a lealdade à marca é um factor vital para as empresas. A REN não foge à regra. As marcas de confiança constroem profundas relações com os clientes, parceiros, accionistas e colaboradores. E são estas relações que são essenciais para qualquer empresa conseguir sucesso a longo prazo.

Fonte: Briefing

quinta-feira, 05 janeiro 2012 15:07

bt nl

Liga-te com o Coração

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing