Entrevistas

A marca do Eurico está a expandir-se em Portugal

A marca do Eurico está a expandir-se em PortugalSão três hotéis em Lisboa, com a ambição de faturar 8,5 milhões de euros em 2015, e mais três na forja, dois também na capital e um no Porto. É assim a estratégia do grupo Palminvest, detentora da marca Holidday Inn no mercado nacional. Em entrevista, o administrador Eurico Almeida fala dos objetivos de negócio e defende que a hotelaria tem de tirar partido do facto de Lisboa ser um destino ímpar na Europa.

terça, 13 janeiro 2015 12:19
A marca do Eurico está a expandir-se em Portugal

Briefing | Qual o posicionamento da marca Holiday Inn no mercado nacional?

Eurico Almeida | O nosso posicionamento no mercado português passa pela consolidação da marca com maior expansão na Europa. A inauguração do Holiday Inn Express, perto da Avenida da Liberdade, em Lisboa, é um passo em frente e muito significativo para o desenvolvimento da marca em Portugal, quer seja no conceito de city breaks ou de negócios. O objetivo quantitativo é ter um Revpar (Revenue per Room) de 70-80 euros em hotéis de 3 estrelas na cidade de Lisboa. E queremos nivelar por aqui o futuro, porque Lisboa tem de estar a par e passo de cidades como Edimburgo ou Manchester. Os clientes que pagam preços médios por quarto de 161 euros em Amesterdão também já vêm visitar Lisboa. Se assim é, os hoteleiros da cidade têm de acreditar que conseguem superar os atuais 97 euros de preço médio na capital (já com um crescimento de +12% que 2013) e tirar proveito da sua reabilitação e destino ímpar na Europa.

Briefing | Que estratégia está por trás da escolha da localização da nova unidade em Lisboa?

EA | A localização do edifício foi determinante para a escolha final, assim como a satisfação de poder reabilitar um imóvel do princípio do século XX, no coração de Lisboa, que se traduzia num desafio relevante para o nosso posicionamento no mercado city-break. Queríamos transformar este espaço num hotel de 3 estrelas que despertasse nos clientes sensações de um 5 estrelas. Localizado no district business Lisboa e perto da avenida mais cara da capital, a Avenida da Liberdade, o conceito é o dos city breaks e, embora os restantes hotéis do grupo estejam sobretudo vocacionados para o turismo de negócios, no Holiday Inn Express Lisbon mais de 70% de ocupação é feita por estrangeiros.

Briefing | Qual o investimento subjacente?

EA | Com 108 quartos, que rondam os 80/90 euros, este projeto faz parte de um investimento do grupo de cerca de 37 milhões de euros, dos quais 13 milhões foram para o hotel Holiday Inn Express Lisboa A ocupação estimada será de 85% para o próximo ano.

Briefing | A que prazo espera obter retorno desse investimento?

EA | Este hotel no centro de Lisboa estima faturar perto de três milhões de euros, assim que atingir a sua velocidade cruzeiro e terá um GOP acima dos 55%, pouco mais da média dos outros hotéis do grupo.

Briefing | Qual tem sido o desempenho das três unidades já a funcionar em Lisboa?

EA | Duas delas muito positivas. Esta nova veremos em 2015, mas estimamos uma operação global acima dos 85% de ocupação em Lisboa para 2015.

Briefing | Há planos para a expansão a outras cidades?

EA | Temos a decorrer uma operação nacional de 490 quartos, sendo 356 concentrados em Lisboa, mas queremos consolidar o modelo em Lisboa e Porto. O investimento previsto até 2017 é de mais três hotéis, sendo dois no centro de Lisboa e um no centro do Porto, esperando atingir perto de 900 quartos em 2017. O Porto é estratégico para nós e uma forma de preparamos a gestão remota com realidade, tecnologia e presença, e já o fazemos há seis anos. Conseguindo demonstrar resultados satisfatórios, estaremos preparados para novos destinos nacionais.

Briefing | Quais as expectativas de negócio para 2015?

EA | O ano de 2014 foi de concretização de 100% do investimento. 2015 será o primeiro ano completo de exploração hoteleira dos quatro hotéis. Esperamos fechar 2015 com 8,5M euros de faturação, aprovar três projetos novos e, se conseguirmos ser muito eficazes nos projetos, licenciamentos e concursos de obra, começar a construir as novas unidades (ou parte delas) ainda em 2015.

Fotos: Frame it

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

terça, 13 janeiro 2015 14:51

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing