Entrevistas

Na McDonald’s, o M também é de mulher

Na McDonald’s o M também é de mulherÀ frente do marketing da McDonald's Portugal desde maio do ano passado, Inês Lima assumiu a função anteriormente desempenhada por um homem. Mais do que falar em género feminino ou masculino, considera essencial reunir diferentes personalidades e backgrounds. Ainda assim é favorável a que se premeie a liderança no feminino.

terça-feira, 17 março 2015 13:24
Na McDonald’s, o M também é de mulher

Briefing |Qual a influência de uma mulher na direção de marketing de uma empresa?

Inês Lima | Creio que, independentemente de ser uma mulher ou homem, um líder deve conseguir gerar empatia com a equipa e os pares, motivando os colaboradores e mantendo sempre o foco na inovação e a criatividade como metas. Para tal, julgo que o mais importante é considerar diferentes perspetivas, de modo a conseguir ter uma discussão de temas mais abrangentes e tomadas de decisão mais informadas. Mais do que falar em género feminino ou masculino, é essencial assegurar que a direção é o somatório de diferentes personalidades e backgrounds.

Briefing | E na McDonald's?

IL | No caso da McDonald's Portugal, empresa que sempre se pautou por uma filosofia de diversidade e igualdade de oportunidades, a atual direção é constituída por três diretoras e dois diretores, sendo um excelente exemplo da crescente liderança feminina no mundo empresarial.

Briefing | O masculino domina na liderança do marketing ou esta atividade não tem género?

IL | Felizmente, esta diferença tem vindo a atenuar-se sendo as direções de marketing e comunicação duas áreas que têm maior percentagem de mulheres a assumir posições de liderança, existindo, em Portugal, excelentes exemplos de liderança no feminino a nível de direções de marketing, com forte impacto nas suas empresas.

Acredito que deve existir um equilíbrio entre as qualidades femininas e as masculinas numa equipa. É muito importante para a saúde da empresa saber capitalizar os melhores atributos de ambos.

Briefing |E quais as qualidades femininas "bem recebidas" no marketing?

IL | As mulheres, de um modo geral, têm qualidades valorizadas nas mais diversas áreas. Contudo, pessoalmente, destacaria a empatia, atenção aos detalhes, visão periférica e dinamismo, a inteligência emocional e a abertura à opinião de terceiros, a par da intuição feminina, que resultam numa liderança democrática, inclusiva e relacional.

Homens e mulheres têm traços inatos de comportamento distintos mas, presentemente, um gestor deve procurar ser uma boa combinação de ambos. Tanto as características tradicionalmente mais femininas, como as que referi previamente, e as competências mais masculinas, como a liderança, imparcialidade e capacidade de tomar decisões. Só abraçando ambos os lados poderemos ter um gestor mais completo e eficiente.

Briefing | Há mais obstáculos para as mulheres enquanto diretoras de marketing?

IL | Julgo que, nos dias de hoje, não existem motivos para persistirem os obstáculos.

Acredito que é, cada vez mais, possível conciliar uma carreira profissional com a vida pessoal e familiar, mantendo um bom equilíbrio entre estas três vertentes. No meu caso, sou, em simultâneo, diretora de uma equipa de 13 elementos, mulher, casada e mãe de três filhos.

Esta entrevista pode ser lida na íntegra na edição impressa, no âmbito de um dossiê alusivo ao Dia da Mulher.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

quarta-feira, 18 março 2015 09:02

bt nl

2050.Briefing

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing