Entrevistas

O Nickelodeon é uma marca com sentido de humor, diz o Victor

O Nickelodeon é uma marca com sentido de humor, diz o VictorUma marca dinâmica, interventiva, desafiadora e, acima de tudo, com um grande sentido de humor. É assim que o canal Nickelodeon se assume, 10 anos depois da entrada em Portugal. Victor Mourão, vice-presidente e general manager do canal, faz um balanço desta década no nosso país e das principais alterações na estratégia e oferta de conteúdos.

sexta, 17 julho 2015 13:38
O Nickelodeon é uma marca com sentido de humor, diz o Victor

Briefing | Como se assume hoje o Nickelodeon?

Victor Mourão | O Nickelodeon sempre se assumiu como mais do que um canal de televisão. Somos um amigo dos mais jovens, que partilha a mesma linguagem e os mesmos gostos que eles. O nosso objetivo é falar diretamente para as crianças, colocando-as no centro das atenções e fazendo dos seus gostos e interesses uma prioridade. Este sempre foi, e continua a ser, o posicionamento do canal, acompanhado de uma missão muito importante: fazer todas as crianças felizes. Hoje em dia, e passados 10 anos em Portugal, assumimo-nos como uma marca dinâmica, interventiva, desafiadora e, acima de tudo, com um grande sentido de humor. Queremos, mais do que nunca, estar perto do nosso target e fazer parte dos vários momentos do seu dia-a-dia, não só através da televisão, mas também, de todas as nossas plataformas online, da nova aplicação mobile que acabámos de lançar, a Nick APP, e das várias ações de rua que procuramos ativar constantemente.

Briefing | O que mudou na estratégia de marketing do canal nestes 10 anos?

VM | O Nickelodeon cresceu com as crianças ao longo destes 10 anos em Portugal. Sendo um canal que pretende estar próximo dos fãs, naturalmente que temos que adaptar a nossa estratégia às suas necessidades e hábitos que, hoje em dia, mudam muito rapidamente. Ganhámos um público muito fiel no nosso país, que nos segue nas várias plataformas e que acompanha a evolução das séries e as várias ações do canal. Este público cresceu e, por isso, a nossa estratégia de marketing foi também redefinida. Começámos há cerca de 4 anos a apostar mais no segmento "teen", o que teve influência não só na programação do canal, com a estreia de várias séries live action, mas também, na própria comunicação e visual do canal, nas parcerias estabelecidas, nos conteúdos criados e em toda a experiência de marca on the ground. Exemplos destes conteúdos são o regresso de "As Tartarugas Ninja" aos ecrãs portugueses, a estreia da série "Sanjay & Craig" ou, saltando do pequeno para o grande ecrã, a estreia dos filmes "Tartarugas Ninja: Heróis Mutantes" e "SpongeBob: Esponja Fora de Água". O Nickelodeon é muito mais do que um canal de TV. Somos também produtores de conteúdos. Séries como o "SpongeBob Squarepants" ou "As Tartarugas Ninja" são inteiramente produzidas por nós, o que nos permite ter outro tipo de liberdade para desenvolver uma estratégia de marketing à volta destes conteúdos e criar uma forte relação com o nosso target.

Briefing | E quanto ao online? Porque optaram pela disponibilização de episódios no website?

VM | O novo site, que foi lançado no final de 2014 com um layout mais intuitivo e dinâmico, não dispõe de episódios completos de séries. Contudo, é uma plataforma onde disponibilizamos muitos conteúdos interativos e em vídeo, grande parte produzidos especificamente para o online. No passado dia 30 de junho, lançámos também a Nick APP, a aplicação mobile gratuita do Nickelodeon que, muito em linha com o site, é divertida, visualmente apelativa, com centenas de conteúdos diferentes e únicos. A APP inclui jogos, vídeos e episódios completos de séries, estes últimos apenas disponíveis para clientes NOS. Este posicionamento está muito relacionado com os próprios consumos que os jovens fazem da tecnologia hoje em dia e com a nossa vontade de estarmos próximos dos fãs Nickelodeon. Queremos estar presentes nas várias plataformas onde o nosso target está. Daí que tenhamos uma estratégia online forte, com a disponibilização de diversos conteúdos interativos e exclusivos para estas plataformas, incluindo as redes sociais.

Briefing | E quanto à programação made in Portugal? O que tem sido ou vai ser feito neste sentido?

VM | A programação do Nickelodeon Portugal é 100% falada em português. Todas as nossas séries de animação e live action são dobradas e adaptadas para o nosso público. Adicionalmente, em Portugal produzimos o programa "Estás Lá", através do qual fazemos a cobertura de alguns dos principais momentos do canal e dos vários eventos infanto-juvenis a que o Nickelodeon se associa. Esta é uma forma de interagirmos e darmos voz aos nossos fãs, ao mesmo tempo que transmitimos um conteúdo inteiramente português. Alguns dos "Estás Lá" mais recentes dizem respeito ao 10º aniversário do Nickelodeon em Portugal e ao lançamento da Nick APP e estão também disponíveis no nosso site.

Briefing | Como caracteriza a concorrência no segmento infantil, em televisão?

VM | A concorrência mostra-se relativamente forte, sobretudo, no cabo, com alguns outros canais de televisão que se direcionam para o mesmo target que o Nickelodeon. Contudo, acreditamos que cada canal tem um posicionamento e espaço próprios, o que permite diversificar a oferta do mercado. No nosso caso, assumimo-nos como um canal fun e irreverente, diferenciando-nos da restante oferta existente em Portugal. Somos o canal infanto-juvenil mais visto em todo mundo, presente em 139 países. Em Portugal, somos um canal exclusivo NOS, e acreditamos ser uma das principais vantagens competitivas para este operador. É possível avaliar a força do Nickelodeon através do grau de afinidade que os jovens portugueses têm com canal, que é o mais elevado entre os canais por cabo infanto-juvenis em Portugal no target 4-14 (466% entre janeiro e junho 2015, segundo fonte da GFK). Constatamos esta forte relação que temos com os nossos fãs sempre que realizamos uma ação no terreno, em que a adesão é muito forte.

Briefing | E como é que o canal garante a diferenciação no mercado?

VM | Somos um canal que se caracteriza pela "pura diversão". Não pretendemos contar histórias de encantar, mas sim, apresentar conteúdos divertidos, originais, hilariantes e, até, non sense, com os quais os jovens se identificam. Somos uma marca que se estende para além do canal de TV e que pretende estar perto dos jovens nos vários momentos da sua vida, quer seja online, on-air ou on the ground.

Briefing | Relativamente às audiências, que balanço faz deste último ano? Que evolução?

VM | O balanço nos últimos anos tem sido positivo. Temos assistido a um crescimento do canal e das audiências ao longo dos anos. No final de 2014 passámos a estar disponíveis em todos os pacotes digitais NOS, chegando mais de um milhão de lares. Apesar de sermos um canal exclusivo NOS, temos visto a nossa distribuição ser alargada, o que tem ajudado ao crescimento do canal. Paralelamente, o envolvimento e a afinidade dos fãs com o canal tem evoluído positivamente, posicionando-o atualmente como o canal infanto-juvenil por cabo com um grau de afinidade mais elevado em Portugal. Este envolvimento é bastante notório no feedback que obtemos das redes sociais e das ações no terreno.

Briefing | Que iniciativas serão realizadas para comemorar os 10 anos do Nickelodeon?

VM | O Nickelodeon nasceu no dia 1 de junho de 2005. Por isso, no passado dia 1 de junho de 2015, Dia da Criança, assinalámos esta data junto dos nossos fãs, aqueles para quem trabalhamos todos os dias. Visitámos vários parques infantis em Lisboa e surpreendemos as crianças que lá estavam com as quatro mascotes do Nickelodeon: SpongeBob, Patrick e duas Tartarugas Ninja, Rafael e Miguel Ângelo. Nesta data divulgámos também uma infografia com os melhores momentos do Nickelodeon ao longo destes 10 anos em Portugal, que nos permitiu partilhar com os nossos fãs e parceiros os maiores marcos do canal, desde a criação da "Família Nickelodeon", ao lançamento do novo site, das redes sociais do canal e de uma nova imagem, passando pela estreia de diversas séries e filmes, por várias parcerias de sucesso e ações de sensibilidade social.

Briefing | E quanto à comunicação? Haverá uma campanha especial do 10º aniversário?

VM | Para o 10º aniversário preparámos uma comunicação pontual nos nossos próprios canais (on-air e online), que esteve no ar durante o mês de junho. Recuperámos, também, os melhores momentos do Nickelodeon no nosso país através de uma infografia. Neste momento, o nosso foco é a campanha de lançamento da Nick APP, que vem no seguimento do nosso 10º aniversário em Portugal. Esta campanha pode ser vista em TV, rádio, imprensa e online e tem como objetivo mostrar que, com a Nick APP, os mais pequenos podem agora ter "todo o Nickelodeon na ponta dos dedos".

Briefing | Quais os objetivos do Nickelodeon para os próximos anos?

VM | Queremos continuar a crescer e a trabalhar para aquela que é a nossa maior missão: fazer todas as crianças felizes. Estamos em constante evolução para ir ao encontro das expetativas do nosso público e poder estar onde ele está, nos vários momentos do seu dia-a-dia. Paralelamente, pretendemos manter o nosso forte compromisso com o território nacional, com uma estrutura local sólida e que nos permite produzir conteúdos e realizar ações de elevada qualidade para o público português. Queremos continuar a agregar valor ao negócio da TV paga em Portugal com toda a nossa criatividade e conteúdos originais.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

segunda, 20 julho 2015 09:48

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing