Entrevistas

A Epicurspicy é 100% nacional mas tem uma ambição sem fronteiras

Na Epicurspicy há cocktails ao sabor da imaginaçãoFecharam 2014 com um volume de vendas de 48 mil euros. Em 2015, esperam valores acima dos 95 mil. Trata-se da Epicurspicy, a primeira marca portuguesa de cocktails granizados de preparação rápida. Carlos Freire, cofundador, explica que a ambição é aumentar a faturação nos mercados externos, de modo a que Portugal represente apenas 10%. China e Estados Unidos são as próximas paragens nesta internacionalização.

sexta-feira, 25 setembro 2015 12:33
A Epicurspicy é 100% nacional mas tem uma ambição sem fronteiras

Briefing | Como surgiu a Epicurspicy?

Carlos Freire | A Epicurspicy iniciou a sua atividade em julho de 2012. Mas, desde janeiro de 2009 que começámos a trabalhar no conceito e no desenvolvimento dos produtos, até ser lançada definitivamente no mercado. Existe, no entanto, uma longa história a preceder este desfecho, em que temos de voltar ao ano de 1986, nos EUA, quando conheci a Laura Baker. Passei esse ano como estudante de intercâmbio com uma família do Kansas (EUA), onde conheci a Laura. A parte engraçada é, que 22 anos mais tarde, a Laura apaixonou-se pelo meu irmão, João, mudou-se para Portugal e casaram-se por cá. Poucos meses depois, juntou-se a minha mulher, Sofia, àquele que seria o grupo que iria gerar a Epicurspicy. Pode dizer-se que a Epicurspicy nasceu de uma frustração de nós os quatro.

Como uma recém-chegada a Portugal, Laura adorou os novos alimentos e sabores, mas tinha saudades de algumas bebidas, da forma como eram preparadas na sua "terra", especialmente Tex-Mex e Margaritas, que são difíceis de encontrar em Portugal. Começámos a falar, em tom de brincadeira, sobre a criação das nossas próprias Margaritas até́ que decidimos concretizar as nossas ideias. Apercebendo-nos que tínhamos evidentes limitações para preparar os diversos cocktails que desejávamos, resolvemos procurar uma solução prática que nos permitisse preparar fácil e rapidamente os nossos cocktails preferidos mas, muito importante, que fossem deliciosos. Assim, com o objetivo de aliar a inovação à simplicidade, permitindo a qualquer pessoa preparar um bom cocktail, em 2012, nascia a Epicurspicy, a primeira marca portuguesa de cocktails granizados de preparação fácil. O primeiro sabor foi a Margarita e seguiram-se os restantes cinco (Mojito, Daiquiri de Morango, Caipirinha, Margarita de Morango e Caipiroska), todos com ingredientes naturais, sem corantes nem conservantes artificiais, numa embalagem prática onde apenas tem de se juntar água e a bebida alcoólica, agitar e colocar durante algumas horas no congelador.

Briefing | Já tinham experiência no mercado de bebidas espirituosas?

CF | Nós os quatro temos diferentes formações educacionais e experiências profissionais, mas todos concordávamos que queríamos um delicioso cocktail, num pacote elegante e prático, que pudesse ser preparado a qualquer momento e (quase) em qualquer lugar. A única experiência que tínhamos no mercado das bebidas espirituosas era como consumidores. Para mim, que tenho formação em engenharia química, este novo desafio de criação de cocktails foi perfeito. À capacidade técnica de engenharia somou-se a sensibilidade estética da Sofia, arquiteta, para desenvolver uma embalagem elegante e funcional e supervisionar o projeto da área de produção. A formação científica da Laura e o seu espírito empreendedor ajudaram a Epicurspicy a impulsionar-se a partir de uma ideia "e se?" para uma realidade concreta. E, por último, mas certamente não menos importante, o Ph.D. em Marketing do João foi a chave para o desenvolvimento da nossa marca e estratégia de negócio. Em junho de 2015, procedeu-se a uma alteração significativa na estrutura acionista da empresa com a aquisição das posições da Laura e do João por mim e pela Sofia.

Briefing | Que necessidade identificaram no mercado para a criação de cocktails granizados?

CF | Chegámos à conclusão de que não existiam com esta variedade, possibilidades e numa dose considerável, cocktails granizados fáceis de preparar e beber em qualquer lugar, sem ser necessária a perícia de um profissional ou a ida a um bar especializado. Daí termos criado as seis bebidas e em embalagens de dois litros: Caipirinha, Caipiroska, Daiquiri de Morango, Margarita, Margarita de Morango e Mojito prontos a servir, simples e rápidos de preparar, ideais para festas, jantares, piqueniques, no jardim, na praia, piscina, em casa ou em qualquer lugar.

Briefing | O que distingue o vosso produto no mercado?

CF | No mercado há várias marcas internacionais de bebidas alcoólicas que oferecem já as suas "ready-to-drink" (RTD) e pré-misturas concentradas. Este é um segmento crescente e todos querem estar presentes. Alguns exemplos são: Bacardi, Smirnoff, Pampero, Eristoff, Jose Cuervo, Cachaça 51 ou Malibu. Também estão disponíveis no mercado vários RTD cocktails granizados como a Diageo Parrot Bay, a Daily's ou a Caipi One. A Epicurspicy é a única marca portuguesa e no mundo que dá para, pelo menos, dez doses e permite que seja o consumidor a escolher a marca da bebida alcoólica que vai utilizar na preparação do cocktail. Sendo um produto prático e de fácil preparação, permite, no entanto, que o consumidor dê um toque pessoal, podendo inclusive fazê-lo mais ou menos alcoólico ao seu gosto. Uma embalagem maior permite que o cocktail possa ser consumido tanto por um grupo de amigos como apenas a dois, pois o que não for consumido pode ser mantido no congelador até seis meses sem perda de qualidade. A portabilidade é outra característica interessante, porque pode ser transportado facilmente para consumo na praia, num churrasco ou em qualquer lugar. A aposta da Epicurspicy está na qualidade dos produtos, já que usamos apenas fruta desidratada e produtos naturais, o que lhe confere um sabor autêntico, permitindo assim que o nosso produto possa servir de base para a criação de outros cocktails ao sabor da imaginação do consumidor.

Briefing | Que financiamento exigiu a criação da marca?

CF | O investimento inicial no ano de arranque foi na ordem dos 20 mil euros, sendo que o total do investimento por parte dos sócios atingiu um total de 120 mil euros nos primeiros três anos.

Briefing | E que resultados de negócio tiveram até agora?

CF | Fechámos o ano de 2014 com um volume de vendas de 48 mil euros. Em 2015, esperamos fechar o ano com um volume de vendas acima dos 95 mil euros e para 2016 o nosso objetivo é atingirmos um volume de vendas na ordem dos 370 mil euros. O processo de internacionalização acompanhou a empresa logo desde início. Em 2014, o mercado externo representou 30% do volume de vendas. No entanto, de acordo com o nosso plano estratégico, pretendemos que, em 2017, as vendas nacionais representem apenas 10% da faturação.

Briefing | Qual a estratégia de marketing adotada pela Epicurspicy?

CF | Dando continuidade à nossa participação e aos contactos estabelecidos, em maio deste ano, na Hofex Hong Kong 2015, o maior certame da área alimentar e Horeca da Ásia, iremos participar no final de outubro de 2015 na MIF – Macau International Fair. O objetivo é entrar no mercado chinês através de Hong Kong e Macau. Para 2016, a aposta será entrar no mercado dos Estados Unidos. O processo de registo de marca junto do USPTO foi concluído no mês passado e temos um plano comercial para implementar na abordagem a este mercado. Para isso, temos já um parceiro identificado que nos irá apoiar na penetração no mercado norte-americano, que inicialmente passará por dois estados da costa leste dos Estados Unidos.

Briefing | E quanto à comunicação? Que investimento foi feito para divulgar a marca?

CF | Em 2015, a comunicação irá passar essencialmente por darmos a conhecer o produto ao público, através da presença em revistas, jornais, televisão e meios online. A presença nas redes sociais é outro meio fundamental na nossa comunicação. Neste momento, patrocinamos também alguns eventos que acontecem com uma regularidade mensal. O Break é um evento after-work que ocorre todas as penúltimas quintas-feiras de cada mês, a partir das 19 horas, no Hotel Florida (no centro de Lisboa) ou a Produtized Talks que se realiza todas as últimas sextas-feiras de cada mês no Lisbon Innovation Kluster (Linnk). Temos também previsto a realização de algumas sunset parties em roof tops de referência em Lisboa.

Briefing | A venda dos produtos é feita exclusivamente no online? Ou têm parcerias com hiper e supermercados?

CF | Para além da nossa loja online, os produtos estão à venda nos seguintes locais: El Corte Inglés, supermercados SuperCor, supermercados Liberty American Store (Lisboa), Makro, Intermarché (Altura, Monte Gordo, Vila Real de Santo António e Ansião), Supermercados Apolónia (Algarve) e Supermercado Tradicional (Estoril).

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

segunda-feira, 28 setembro 2015 11:29

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing