Entrevistas

Uma marca mais próxima do cliente. É assim a "nova" Phone House

Franchising é aposta “fulcral” para a Phone HouseA Phone House está a preparar um reposicionamento em Portugal. Reposicionamento esse que passa pela renovação do lote de lojas, pela aposta no franchising, pelo enfoque no atendimento ao cliente e assistência técnica, e ainda por terminar o ano com resultados positivos.

sexta, 21 outubro 2016 12:34
Uma marca mais próxima do cliente. É assim a "nova" Phone House

A estratégia é explicada pela diretora de Marketing, Carla Gonçalves.

Briefing | A Phone House está a preparar o reposicionamento em Portugal. Em que consiste?

Carla Gonçalves | A Phone House, fruto de um estudo elaborado no decorrer deste ano, bem como as alterações que o mercado das telecomunicações sofre continuamente, sentiu uma necessidade de se reposicionar no mercado, aproximando-se mais dos consumidores, com uma renovação a nível das lojas, com um grande enfoque no atendimento ao cliente, algo que sempre pertenceu ao nosso ADN, com especial importância na assistência técnica e com uma diversidade que o mercado exige. Assim, aliando a nossa forte notoriedade espontânea e assistida a uma nova forma de estar no mercado, pretendemos continuar a ser a referência no mercado do retalho especializado das telecomunicações. A Phone House é reconhecida como um retalhista isento, especialista, moderno e presente. No início do segundo semestre reestruturámos o nosso site, sendo agora o phonehouse.pt visto como uma das nossas lojas mais importantes.

Briefing | Já têm ações preparadas (ativações, campanhas)? E que investimento será feito?

CG | Temos um plano de ações para o último trimestre que aliam ativações da marca, com comunicação above the line. Temos previsto um investimento significativo, espelhando 70% do nosso investimento anual.

Briefing | Como evoluíram os resultados da Phone House entre o período pré e pós aquisição por parte da Digital Place?

CG | Quando a operação em Portugal da Phone House foi comprada era uma empresa que apresentava prejuízos sucessivos e acumulados significativos. Em média, tinha prejuízos anuais na ordem dos 8 milhões de euros. Durante um ano foram feitas reestruturações profundas, quer a nível de produtos, quer a nível de backoffice, onde não nos podemos esquecer dos investimentos efetuados a nível da modernização dos sistemas informáticos, que permitiu um turn around. A empresa prevê fechar o ano com resultados positivos.

Briefing | E o que mudou na empresa com essa aquisição?

CG | As alterações foram inúmeras e continuam a ser realizadas on going, mas gostaria de realçar uma alteração estrutural e profunda no modelo de gestão da empresa: a criação de um modelo de governance, permitindo a definição de objetivos claros, a curto e médio prazo, para a empresa e dotando a mesma de processos de tomada de decisão muito rápidos, fator crítico neste mercado. Também foi fulcral a introdução na Phone House de uma cultura de rigor, com uma orientação para resultados.

Briefing | Qual a estratégia de negócio da Phone House para o mercado português?

CG | A estratégia de negócio da Phone House passa pela renovação do seu parque atual de lojas, para que o seu reposicionamento seja refletido na sua forma de estar no mercado e apostar em localizações estratégicas numa lógica de presença, de estarmos onde estão os nossos consumidores. Para nós é essencial a aposta no conceito de franchising, para o qual temos tido bastante aceitação e procura. Consideramos que é, claramente, um modelo de negócio vencedor no retalho especializado. Temos já 31 lojas a operar através dos nossos franchisados.

Briefing | De que forma pode a Phone House destacar-se no mercado de smartphones, comparativamente a concorrentes como a Worten, FNAC ou lojas de operadoras (NOS, Vodafone, MEO)?

CG | A Phone House pode destacar-se como sendo a especialista em smartphones, visto que o âmbito do negócio de concorrentes como a Worten ou a FNAC é muito mais amplo. Pode ainda destacar-se como isenta e imparcial, visto que temos todos os serviços dos operadores e a nossa ambição é servir da melhor forma as necessidades dos clientes.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing