Entrevistas

Como a Corine de Farme quer estreitar laços com as famílias

Como a Corine de Farme quer estreitar laços com as famíliasCrescer em vendas, atualizar fórmulas, novos lançamentos e estreitar relações são alguns dos objetivos da Corine de Farme para responder à fraca taxa de natalidade que há em Portugal. Quem o diz é a diretora de Marketing da marca, Vânia Padeiro.

quinta-feira, 25 maio 2017 13:13
Como a Corine de Farme quer estreitar laços com as famílias

Briefing | Como tem evoluído a marca no mercado português?

Vânia Padeiro | Ao longo destes últimos cinco anos, temos conseguido ter um crescimento sustentável, no entanto, temos os últimos dois anos relativamente estagnados. Daí, este ano precisarmos de um impulso significativo. A taxa de natalidade em Portugal não nos tem ajudado porque a população está cada vez mais envelhecida, há cada vez menos bebés, as mulheres são mães mais tarde e muitas delas, quando decidem ser mães, ficam só com um filho. Isto implica ter uma criatividade enorme para conseguir crescer e, para nós, não crescer na gama de bebé torna complicado fazer a empresa crescer, pelo que este ano estamos realmente focados nesta área de negócio.

Briefing | Foi essa necessidade de crescer que vos levou a criar uma nova linha?

VP | O nosso objetivo de crescer em vendas implica lançamentos. A grande distribuição em Portugal está numa fase muito promocionada e, mantendo o negócio que nós temos com o nível de promoção exigido, hoje em dia, pelos players, a melhor forma de crescer é inovar. Também necessitamos de conquistar novas mães e um dos objetivos principais é alargar o consumo da marca Corine de Farme a toda a família. No caso de a família optar por um produto de bebé, que não hesite e compre Corine de Farme.

Briefing | Portanto, a estratégia passa também por alargar o público?

VP | Sim. Ou seja, a gama mantém-se, todos os nossos produtos da gama de bebé podem ser utilizados desde o primeiro dia no bebé, mas queremos permanecer em casa das famílias mais tempo do que só os primeiros três anos.

Briefing | Essa estratégia é local ou global?

VP | É uma estratégia global. A nossa gama de bebé é prioritária em diversos países. Em Portugal posso dizer que já é uma realidade o crescimento de vendas. Fechámos o primeiro trimestre com um resultado muito positivo e com um crescimento muito interessante em todo o mercado.

Briefing | Diz que este será um ano relevante para a marca e para a gama bebé. Porquê?

VP | Este ano está a ser já um ano muito importante para a gama de bebé. No início do ano tivemos o lançamento de uma nova gama de bebé, a gama cor de rosa, com flor de amendoeira. A gama de bebé é a gama número um dos laboratórios Sarbec em vendas e é também o segmento de mercado onde temos uma melhor posição em quota de mercado. Queremos continuar, crescer dentro do hipermercado, conquistar consumidoras que ainda fazem algum consumo em farmácia e continuar a inovar. Este ano, o lançamento está feito e à partida não teremos mais lançamentos.

Briefing | O que oferece a Corine de Farme de diferente da concorrência?

VP | Vou-me focar no que é a nossa concorrência em hipermercado e supermercado. Nesse aspeto temos a oferta mais completa, que vai ao encontro de todas as necessidades de uma recém mamã, desde o gel de banho e o shampoo, que podemos dizer que são os produtos mais básicos na higiene do bebé, e um leite hidratante. Mas depois trazemos imensa inovação ao hipermercado. Temos a água de limpeza micelar para bebé, ou seja, associamos o conceito micelar que hoje em dia está tanto em voga na limpeza da pele da mulher, que pode ser utilizado para mudar a fralda. Temos uma espuma de limpeza, também um conceito que está na moda e é uma tendência que existe na área de cosmética, que nós trazemos para o bebé. O que nos distingue mesmo da concorrência é esta gama que lançámos agora com um ativo diferente, a flor de amendoeira. É uma inovação. Mas também atualizamos fórmulas e, este ano, uma das grandes apostas em termos de diferenciação é o facto de termos tirado os sulfatos dos nossos produtos.

Briefing | Que objetivos quer a marca atingir em 2017?

VP | Aumento de vendas, aposta no digital, manter o lado emocional e estreitar cada vez mais a relação com a consumidora. Queremos ainda passar a mensagem de que não descuramos a inovação e a tecnologia e o investimento em fórmulas qualitativas.

Esta entrevista pode ser lida na íntegra na edição impressa da Briefing.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing