A Briefing em Cannes

O que os Young Lions esperam de Cannes? (parte 2)

O que os Young Lions esperam de Cannes? (parte 2)Os seniors copywriters da Mustard Tiago Fragoso e Fernando Aguiar quiseram descobrir a resposta a esta e a outras perguntas, a convite da Briefing. Seguem-se as últimas três de um total de sete entrevistas que fizeram aos vencedores de 2017 dos Young Lions, que representam Portugal no festival Cannes Lions, que começa este sábado, 17 de junho.

sexta-feira, 16 junho 2017 12:10

Categoria Print: Tiago Silva (copywriter d'O Escritório) e Hugo Suíssas (art director d'O Escritório)

– Como foi participar no Bootcamp na Etapa portuguesa da Competição?
Tiago Silva e Hugo Suíssas | Foi uma experiência que nos trouxe muitas coisas: algumas novas amizades, mais experiência e também muito sono. Mas no fim, tudo valeu a pena.

- O que vos fez entrar para a área?
TS e HS | O facto de podermos viver das ideias.

- Qual o maior desafio criativo que encontraram até hoje?
TS e HS | Encontrar as prendas perfeitas para o aniversário das nossas mães.

- O que acham que vai ser a melhor parte do Festival de Cannes?
TS e HS | A competição, os debates, o networking e a palestra da Jessica Alba.

- Qual a vossa estratégia para vencer a competição no Festival de Cannes?
TS e HS | Chegar à ideia o mais rápido possível para tentar aproveitar ainda um pouco do sol das praias da Riviera Francesa.

- Se vencerem, como vão celebrar?
TS e HS | Com uma dupla pirueta seguida de um mortal encarpado à retaguarda ou, numa versão alternativa, com muitos brindes e alguns abraços.

Categoria Filme: Rita Castelo Branco (diretora de arte na Havas) e Fernando Aguiar (copywriter na Mustard).

– Como foi participar no Bootcamp na Etapa portuguesa da Competição?
Rita Castelo Branco e Fernando Aguiar | Foi um desafio difícil, que nos fez crescer enquanto profissionais e nos preparou bem para a competição em que vamos participar em Cannes. Para fazer os dois filmes nas 48 horas que tínhamos foi necessária muita agilidade e método. Não pudemos parar um segundo (nem para receber umas massagens que o espaço EDP tinha para nos oferecer). Mas o esforço compensou e estamos muito contentes por representar Portugal em Cannes.

- O que vos fez entrar para a área?
RCB | Durante a minha licenciatura em Design de Comunicação, a área que me interessou mais foram os filmes, portanto quando terminei fui estagiar para a produtora de filmes Garage, onde tive o primeiro contacto com a publicidade. Depois de ter passado algum tempo no departamento de pós produção, tive vontade de experimentar o "outro lado da publicidade", o lado criativo, então comecei à procura de agências de publicidade e fui acolhida pela Havas.
FA | Desde a escola pensava em atuar com publicidade. Gostava muito de música, mas como tinha dúvidas sobre a possibilidade de êxito nessa área, viver da criatividade através da publicidade foi uma escolha natural.

- Qual o maior desafio criativo que encontraram até hoje?
RCB | A minha vida na área da publicidade ainda é curta, mas penso que o bootcamp foi mesmo o maior desafio. Por saber o que estava em jogo, quanto eu gostava de ganhar e a pressão do tempo que tínhamos.
FA | Trabalho em agências há alguns anos. Já tive reuniões difíceis com clientes, deadlines apertados, mas o bootcamp da etapa portuguesa dos Young Lions foi, sem dúvida, o desafio mais difícil que já enfrentei. O nervosismo foi grande e estávamos a competir com grandes duplas.

- O que acham que vai ser a melhor parte do Festival de Cannes?
RCB e FA | Claro que a parte da competição é super importante, mas estamos também muito entusiasmados por conhecer grandes profissionais da área e aproveitar ao máximo o festival, nos dias em que estivermos mais livres. Passamos os nossos dias a ouvir os nossos diretores criativos a falar do festival e queremos perceber a que se deve tanto alarido!

- Qual a vossa estratégia para vencer a competição no Festival de Cannes?
RCB e FA | Durante os dias da competição o nosso objetivo é fechar os olhos a todos os estímulos que nos vão rodear (não vai ser tarefa fácil). Temos consciência de que é provável que voltemos ao Festival de Cannes enquanto profissionais, mas que enquanto Young Lions é uma experiência única, e queremos aproveitá-la ao máximo.

- Se vencerem, como vão celebrar?
RCB e FA | Penso que ir a Cannes é, em si, celebração. No caso de vencermos, a festa vai ser só maior!

Categoria Marketing: José Pedro Silva (Unicer - Gestão de marca Super Bock) e Mário Alves (Unicer – Gestão de marca Carlsber)

– Como foi participar no Bootcamp na Etapa portuguesa da Competição?
José Pedro Silva e Mário Alves | É uma experiência rica do início ao fim das 48 horas. Coloca-nos numa posição de pressão onde somos testados, quer de um ponto de vista estratégico, quer criativo. Em simultâneo obriga a um excelente trabalho de equipa e gestão de tempo desde o processo de ideação até à construção de estratégia.
Por último, é um formato fundamental para estarmos preparados para o desafio em Cannes.

- O que vos fez entrar para a área?
JPS e MA | O marketing é uma área extremamente sedutora para se trabalhar. A combinação de um mundo estratégico e focado no negócio que não vive sem a criatividade lado a lado coloca ao marketeer desafios contínuos que fazem com que a função seja cada vez mais interessante à medida que vamos crescendo na área.

- Qual o maior desafio criativo que encontraram até hoje?
JPS e MA | O maior desafio de um marketeer e com o qual nos deparamos diariamente é como dar uma resposta criativa a uma necessidade humana sem descurar os nosso objetivos de marketing e o "reason why" para as pessoas acreditarem genuinamente nas marcas. Este é um dos pilares de qualquer estratégia de marketing e assume um papel preponderante nos dias que correm. Num mundo saturado de anunciantes, crescentes meios tecnológicos e formatos de comunicação é fulcral garantir o "share of attention" através de mensagens que impactem os pontos de tensão certos dos nossos consumidores de forma a criar uma relação contínua e duradoura.

- O que acham que vai ser a melhor parte do Festival de Cannes?
JPS e MA | Sem dúvida a experiência de poder competir com duplas criativas de todo o mundo. Um desafio que nos fará certamente crescer no âmbito das nossas funções e desenvolvimento criativo. Além deste aspeto, será certamente interessante estar presente e interagir com algumas das mentes mais criativas a nível mundial.

- Qual a vossa estratégia para vencer a competição no Festival de Cannes?
JPS e MA | Iremos encarar a competição em Cannes exatamente da mesma forma que em Portugal. Foco máximo e tranquilidade no processo de ideação para chegarmos exatamente à ideia que consideramos ter o maior potencial para responder ao briefing.
Por outro lado, tendo em conta que iremos utilizar uma das marcas com que trabalhamos diariamente para responder ao briefing, vamos definir muito bem a nossa estratégia de abordagem consoante o desafio e as características das nossas marcas.

- Se vencerem, como vão celebrar?
JPS e MA | Provavelmente um brinde entre Carlsberg e Super Bock

 O que os Young Lions esperam de Cannes?Tiago Fragoso e Fernando Aguiar

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing