Entrevistas

Uma questão de ROI. A WhiteKube dá nas vistas

Uma questão de ROIA WhiteKube é a única finalista portuguesa dos prémios Premier Partner da Google. Bruno Lopes e Paulo Bartolomeu, os fundadores da agência de marketing digital que prefere ser vista como consultora, explicam o que a diferencia. Tem tudo a ver com o lema: marketing digital com ROI.

segunda, 07 agosto 2017 13:43
Uma questão de ROI. A WhiteKube dá nas vistas

Briefing | O que significa para a WhiteKube ser finalista nos prémios Premier Partner da Google?

Paulo Bartolomeu | É uma grande honra para nós sermos finalistas pelo segundo ano consecutivo para estes prémios, sobretudo por uma entidade e parceiro tão prestigiante como a Google.

É também o culminar de trabalho de todos na WhiteKube, uma vez que somos finalistas pelas melhores práticas e qualidade do nosso trabalho, que se deve à nossa capacidade de trabalhar a perspetiva de estratégia, mas também de apoiar ao nível de Design, UX/UI, Analytics ou CRM.
Estas nomeações são uma validação de que o nosso trabalho está a ser desenvolvido no rumo correto e que a Google nos toma como uma empresa de referência em Portugal e, exemplo disso, é o facto de sermos a única portuguesa a estar nomeada duas vezes consecutivas, para dois prémios.

Briefing | E nas duas categorias em particular – Display Innovation e Growing Businesses Online?

Bruno Lopes | Vêm sempre como validação do nosso trabalho.
No caso de Display Innovation, é relevante pois é fruto de um projeto em que trabalhamos com um cliente onde conseguimos pegar num contexto onde estava limitado no seu crescimento, tanto por custos elevados como por limitações de volume e, através de uma estratégia inovadora e utilizando novas ferramentas da Google, conseguimos um crescimento fantástico de vendas, acima de 100% de um ano para o outro e a custos fantásticos, comparativamente com o que vinham a ter.
É um exemplo de como, conseguindo pegar em novas ferramentas e inovando com as mesmas, existe a oportunidade de ajudar as empresas a crescer através deste meio.
No que toca ao Growing Businesses Online, é um prémio especial para nós, pois surge como consequência de uma aposta nossa em startups, onde nos juntamos à equipa e trabalhamos lado a lado para um crescimento sustentado do negócio.
Pensando o projeto com eles, sugerindo as melhores opções, os melhores canais e o melhor rumo para maximizar o investimento feito.
Dá-nos um gozo enorme e torna também o nosso trabalho extremamente estimulante e gratificante por podermos fazer isso. Sendo um exemplo disso a IndieCampers, que muito nos orgulhamos de ter ajudado a crescer e que é, hoje em dia, uma referência, sendo líder europeu no seu mercado.

Briefing | Enquanto agência de marketing digital, o que diferencia a WhiteKube?

PB | Nós vemo-nos não tanto como agência de marketing digital, mas como consultora, pois o nosso objetivo não é apenas a gestão de publicidade ou fazer o banner ou o website, mas sim pensarmos no negócio com os nossos clientes, perceber qual é o seu objetivo e, a partir daí, em conjunto implementar a estratégia que seja mais adequada.
Assim sendo, acreditamos que esta visão assertiva de negócio faz com que possamos dar aos nossos clientes excelência no nosso trabalho, pois o objetivo do nosso trabalho é claro: gerar retorno dos euros investidos.
Este retorno pode ser sob várias formas, uma vez que cada cliente pode ver retorno em coisas distintas além de vendas, como seja download de aplicação, registo, pedidos de contacto e até mesmo cliques ou visualizações de vídeos, se o retorno pretendido é visibilidade da marca.
Além disto, a componente relacional é igualmente fulcral. O facto de sermos claros e concretos no nosso trabalho, explicando o que fazemos, por que fazemos e qual é o rumo mais adequado, permite que os nossos clientes tenham clareza e transparência no nosso trabalho –nos dias de hoje, confiança e transparência são chaves para uma relação duradoura.
Numa perspetiva mais de conhecimento, o facto de trabalharmos com variadas indústrias, com empresas que vão desde startups (ex: IndieCampers) a empresas estabelecidas no mercado (ex: Mota-Engil) e termos um conhecimento de mercado internacional, gerindo campanhas em mais de 40 países, ajuda a essa diferenciação.
Este conhecimento permite-nos dar um apoio que muitas agências no mercado português não têm capacidade, nem conhecimento.

Briefing | Marketing digital com ROI é o vosso lema. Porquê?

PB | Sim, é verdade: para nós estar a fazer investimentos sem gerar retorno ao nosso cliente não faz sentido.
O nosso trabalho é sempre feito com o objetivo de que o nosso cliente tenha o melhor retorno possível dos euros investidos connosco.
Não temos a pretensão de sermos mais um no mercado a fazer comunicação ou publicidade, mas sim de sermos um parceiro real que se senta ao lado dos clientes e pensa com eles sobre como é que podemos gerar mais resultados via o digital, que, como se falou anteriormente, pode ser várias coisas.
Queremos distinguir-nos dos demais, tanto nacional como internacionalmente, e a forma de o fazermos é focar naquilo que é a dor e a grande questão de todas as empresas: como é que posso gerar mais negócio.
Seja o apoio na gestão de publicidade ou num projeto de consultoria, por exemplo, para otimizar o website para melhorar a probabilidade de compra.
Investimento sem retorno, seja em que área for, é como "atirar dinheiro para a fogueira" e isso é o que queremos ajudar os nossos clientes a evitar e, mais do que isso, ajudá-los a fazer mais.

Briefing | Que mais-valia tem ser Google Premier Partner?

BL | Ser Google Premier Partner, primeiro que tudo, é um símbolo de capacidade, é ter uma referência de uma empresa de renome internacional a dizer: "A WhiteKube é muito boa no que faz".
É um sinal no mercado uma empresa como a Google, líder no seu mercado e que providencia as soluções sobre as quais nós trabalhamos, dizer que vê na WhiteKube um parceiro de valor e que o recomenda a todos os que tenham intenções de fazer publicidade online.
Por outro lado, é uma relação que nos permite ter uma proximidade muito grande com a Google, que se traduz num apoio próximo da sua parte na formação da nossa equipa, no apoio em encontrar soluções vantajosas para os nossos clientes e ter acesso a ferramentas que nos permitem inovar e, como é óbvio, trazer mais valias aos nossos clientes.

Briefing | Em que medida valoriza as soluções que oferecem aos clientes?

BL | O facto de termos esta proximidade com a Google permite-nos ter acesso a um apoio e informação que nos torna mais eficazes no nosso trabalho de gerar os resultados pretendidos pelos nossos clientes.
Esta relação permite-nos ter acesso a informação que nos dá capacidade para tomarmos decisões mais sólidas e, por inerência, num aconselhamento muito mais sólido e eficaz aos nossos clientes. Por outro lado, os case studies a que temos acesso e toda a experiência que nos é transmitida em sessões de formação da Google permitem-nos ser conhecedores das últimas tendências e, como tal, inovar. Por virtude disso, podemos ajudar também os nossos clientes a crescerem de forma sustentável e inovadora nos seus respetivos mercados e, por inerência, crescerem os seus negócios.

Briefing | Qual tem sido o desempenho da agência e que expectativas para este ano?

PB | A WhiteKube tem crescido a números interessantes desde que começou, a uma média de 70% ao ano, tendo em conta que somos uma empresa independente e sem relações a nenhum grupo de media nacional e internacional.
Este será mais um ano para continuar esse caminho e crescermos mais em Portugal, inclusive além Lisboa, e noutros países, sendo que atualmente temos projetos com clientes em 5 países e campanhas ativas em mais de 40.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

Facebriefing