Entrevistas

A Garnier quer ser mais natural e transparente. O Tiago mostra como

“De Garnier, naturalmente” é a nova assinatura da marca do grupo L’Oréal, a qual traduz o compromisso de apostar cada vez mais em ingredientes de origem sustentável, mas também de ser mais transparente, partilhando com os consumidores as práticas utilizadas na formulação dos seus produtos. O diretor de Marketing, Tiago Melo, acredita que este é o caminho a seguir.

quarta, 17 julho 2019 12:43
A Garnier quer ser mais natural e transparente. O Tiago mostra como

 

Briefing | O que levou a Garnier a assumir um novo compromisso como marca?

Tiago Melo | A Garnier não está a assumir um novo compromisso, está a reforçar um compromisso assumido há 115 anos quando se tornou a marca pioneira no uso de produtos com ingredientes provenientes de plantas. E fazemo-lo face à crescente procura por produtos naturais e biológicos.  Em Portugal, os produtos naturais representam 11% do mercado de beleza, e o mercado natural cresce duas vezes acima do mercado. Os consumidores estão cada vez mais preocupados com os ingredientes dos produtos cosméticos que usam, mas também com o impacto que estes têm no ambiente. No entanto, sabemos que os portugueses não abdicam da eficácia quando pensam em cosmética. Querem o melhor dos ingredientes naturais aliado à mais avançada eficácia e segurança dos produtos. E é aí que a Garnier se torna cada vez mais relevante. Enquanto marca pioneira na formulação com ingredientes naturais e provenientes de extratos de plantas, fazia todo o sentido estarmos à frente desta tendência e apostar cada vez mais em produtos com ingredientes de origem sustentável, reduzindo a nossa pegada ecológica para garantir um futuro melhor para as gerações futuras.

 
Como se vai concretizar esta nova atitude?

Este compromisso concretiza-se essencialmente em quatro pilares. Em primeiro lugar, as nossas fórmulas: mais clean, sem parabenos, sem silicones, biodegradáveis, com maior concentração de ingredientes naturais e com certificação biológica. Depois, queremos continuar a reduzir o impacto no ambiente, reduzindo embalagens e aumentando significativamente o uso de materiais reciclados. O terceiro pilar é a produção sustentável: queremos continuar a levar até aos nossos consumidores os melhores ingredientes de todo o mundo, com programas concretos de recolha dos mesmos da natureza de forma sustentável e ética. Neste capítulo, Garnier é já a marca do Grupo L’Oréal com maior variedade de ingredientes naturais provenientes de programas de comércio justo. Por último, o compromisso de cuidar dos consumidores e gerações futuras, uma vez mais com iniciativas concretas e relevantes, como por exemplo o projeto “Heróis do Sol Saudável”: o maior programa de educação para uma responsável exposição ao sol. Um projeto 100% português, resultante da nossa parceria de já 19 anos com a Liga Portuguesa Contra o Cancro, em que colocamos as crianças do 1º ciclo como embaixadoras desta necessária mudança comportamental face ao sol e aos riscos do mesmo.

Do ponto de vista corporativo, foi assumida a intenção de maior transparência. O que faltava?

Os consumidores hoje querem estar mais informados sobre o que consomem, não só na alimentação, mas na cosmética também. Querem perceber exatamente o que estão a consumir ou a colocar na sua pele ou no seu cabelo. Por isso, estamos empenhados em ser transparentes sobre os ingredientes que usamos e sobre as práticas envolvidas na produção dos nossos produtos, e colocamos essa informação disponível nas nossas plataformas digitais, mas principalmente nos rótulos dos nossos produtos, hoje mais fáceis de ler e de entender.

No que respeita ao produto, como se materializa este compromisso?

Estes compromissos já estão presentes nos últimos lançamentos. Lançámos no início do ano a gama Garnier BIO, a primeira gama biológica da marca com certificação da ECOCERT, entidade independente, e com embalagens recicladas e recicláveis. No entanto, destaco outros lançamentos com 98% de ingredientes naturais – Máscara-Leite Ultra Suave com ingredientes orgânicos, Ultra Suave Leite de Amêndoas biológico e a gama de máscaras Fructis Hair Food, com fórmulas vegan e 96% biodegradável.  Em todos os produtos os rótulos foram alterados para serem mais fáceis de entender e com informação detalhada sobre os ingredientes. 
 

E como vai ser comunicada esta mudança?

A marca tem uma nova assinatura que materializa este novo compromisso “De Garnier, Naturalmente” que vai estar presente em todos os materiais de comunicação. As mensagens relacionadas com os quatro pilares anteriormente referidos vão estar presentes nos materiais de comunicação dos diferentes produtos, onde vamos sempre destacar as mensagens relacionadas com a naturalidade.


Em que medida é que esta abordagem de marca se integra na estratégia global da L’Oréal?

No âmbito do seu programa de sustentabilidade Sharing Beauty with All, o Grupo L’Oréal tem-se focado em particular nos compromissos para combater as alterações climáticas, através da redução das embalagens e pela redução das emissões de carbono nos seus locais de produção.  Estas questões ambientais e também de compromisso com as comunidades fazem parte das preocupações da L’Oréal enquanto Grupo.


É expectável que outras marcas do segmento de grande consumo sigam o mesmo caminho? 

Se tivermos em conta que este é um mercado em crescimento, acredito que outras marcas tentem seguir o mesmo caminho. O importante é que o façam de forma transparente e séria. Ainda há alguma desconfiança por parte dos consumidores em relação aos produtos naturais e à sua genuinidade e eficácia. Por isso é que a certificação, como Garnier Bio tem por parte da ECOCERT, é um passo muito importante na credibilização.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing