Entrevistas

Luís Correia abre a porta da hôma

A DeBORLA vestiu-se de amarelo, no seu 20.º aniversário, e mudou o nome para hôma, num rebranding que visa representar aquilo que a marca é, hoje: mais moderna, alegre e competitiva. Quem o diz é o diretor-geral, Luís Correia, que, além de destacar a intenção de reforçar a presença em território nacional – com a abertura prevista de três lojas, este ano –, fala de uma expansão internacional. 

quinta, 13 fevereiro 2020 12:30
Luís Correia abre a porta da hôma

 

A celebrar 20 anos no mercado, a DeBORLA apresenta-se totalmente diferente. O motivou este rebranding?

Luís Correia | Ao longo de 20 anos a empresa transformou-se muito. As nossas lojas promovem uma nova experiência de compra. A gama e oferta de produtos, em loja, são muito diferentes do que eram há 20 anos. O posicionamento de preço foi ajustado de lowest cost para best value for money. A comunicação mudou radicalmente e tornou-se muito mais inspiracional. E apesar de termos feito dois face lifts na marca – um em 2013 e outro em 2016 – entendemos que não foram suficientes para simbolizar a mudança de todo o negócio, ao longo desses 20 anos. Precisávamos de uma nova marca que nos voltasse a representar, não o que poderemos tornar-nos no futuro, mas o que já somos hoje, depois de 20 anos de evolução de negócio. Não só um rebranding, mas um novo naming foi o fator escolhido, com força suficiente, para simbolizar essa mudança.

 

E porquê hôma?

Uma das novidades destes 20 anos é também a nossa expansão internacional. Precisávamos de um nome internacional, de fácil perceção pelos portugueses e com associação à nossa especialidade: casa. Entendemos que hôma responde a todos estes propósitos. A marca foi redesenhada para se tornar mais moderna, alegre e competitiva.

 

Foram investidos 3.5 milhões de euros. O que engloba este valor e que pretendem atingir com ele?

Este valor total é composto pelo investimento em marketing interno, comunicação externa com uma grande campanha nacional, e a redecoração física das lojas – fachadas, sinaléticas, fardamentos. Pretendemos que os nossos clientes fidelizados entendam a mudança e que a sociedade portuguesa que ainda não é nosso cliente, também nos possa conhecer tal como somos hoje.  

 

Qual o posicionamento atual da marca?

Temos três valores inegociáveis, que nos definem. Uma marca democrática: queremos ser acessíveis a todos. Temos uma rigorosa seleção de produtos com qualidade e preço equilibrados, para quem vive o dia-a-dia da sua casa de forma prática e consciente. Apaixonada pelo design: mantemos uma elevada renovação de produtos, oferecendo sempre artigos atuais em linha com as tendências de design e de matérias primas. Especialista em decoração e sorrisos: oferecemos uma grande diversidade de gama e estilos para todas as áreas da casa, procurando reunir numa só loja tudo o que cada casa precisa para ser funcional, personalizada e happy.

 

O que continua a existir da DeBORLA, na hôma?

O preço, sem dúvida. Esse não muda. Entendemos que a nossa estratégia de posicionamento de preço -democráticos, acessíveis, orientado para o best value for Money – é uma das grandes forças da marca.

 

Atualmente, assistimos à entrada de novas marcas de retalho especializado em mobiliário e decoração, no País. Ao nível do marketing e promoção, o que consideram essencial para se distinguirem e responderem ao dinamismo do mercado?

Acreditamos que temos um posicionamento único e isso é suficientemente forte para nos distinguir. O desafio é a comunicação e o marketing conseguirem transmitir isso com eficácia aos nossos clientes e não clientes. Precisamos equilibrar o fator promocional e inspiracional, em todos os touch points. Queremos alcançar a tríade virtuosa da: diversidade, temos uma larga gama e estilos para todas as áreas da casa, procurando reunir numa só loja tudo o que cada casa precisa para ser funcional e personalizada; do design, temos uma constante renovação da oferta nas nossas lojas, oferecendo sempre artigos atuais em linha com as tendências de design e de matérias primas; do preço, como já explicado, entendemos que a nossa estratégia de posicionamento de preço – democráticos, acessíveis, orientado para o best value for Money – é uma das grandes forças da marca.

 

E em termos de produtos e serviços?

Em termos de produtos estamos em constante evolução, tanto na amplitude da oferta, quanto ao seu carater decorativo, sem nos esquecermos de todas as necessidades funcionais de uma casa. De um lado, preocupamo-nos com conseguir oferecer produtos decorativos para todas as áreas de uma casa. Do outro, procuramos produtos cada vez mais funcionais, práticos, para um cliente que privilegia uma compra inteligente. Também nos preocupamos e acompanhamos as tendências de mercado e as preocupações dos consumidores. Cada vez mais estamos focados em produtos eco friendly. Sobre os serviços, temos investido muita energia e capital para a omnicanalidade. Queremos que os nossos clientes tenham cada vez mais uma experiência única nos diversos canais em que estamos presentes. 

 

Falemos de expansão. Estão previstas novas aberturas para 2020?

A intenção para este ano é continuar a reforçar a presença em território nacional, estando previsto abrir mais três lojas em 2020, sendo a primeira destas em Leiria, no final do primeiro trimestre. Sobre a expansão internacional, é um projeto recente e em desenvolvimento. Mas estamos otimistas em obter frutos num curto espaço de tempo.

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

segunda, 24 fevereiro 2020 11:59

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing