Entrevistas

O espírito da ibis é heartist. E a Laura conta porquê

Pessoas. São elas que tornam única cada marca da hotelaria, afirma a brand manager da ibis em Portugal, Laura Alves, para justificar o espírito heartist, com que a cadeia retoma a atividade. Um regresso que coincide com o lançamento de um novo conceito, com estreia europeia no Porto.

quinta-feira, 06 agosto 2020 13:29
O espírito da ibis é heartist. E a Laura conta porquê

 

Briefing | A ibis acabou de estrear um novo conceito. Em que se traduz?

Os novos conceitos da ibis são mais um passo em frente na evolução da experiência que queremos proporcionar aos nossos clientes. Através de um desses novos designs – que, neste caso, denominamos “PLAZA” – convidamos todos a desfrutar de uma atmosfera vibrante, dinâmica e simultaneamente caseira, para que aqueles que estão longe de casa se sintam… em casa!

Os espaços funcionais e sociais e o ambiente diferenciador, quer seja no lobby, no bar, nas zonas de trabalho ou de lazer, estão pensados para os clientes e a comunidade local sentirem que estes espaços são deles. Aqui podem viver momentos únicos e partilhar experiências, num ambiente livre, com carácter, contemporâneo e ao mesmo tempo acolhedor, onde todos são bem-vindos. Projetámos áreas multifuncionais para responder a cada uma das potenciais necessidades dos nossos clientes: Feel Welcome, Eat & Drink, Relax & Enjoy Music ou Work.  

 

E porquê o Porto para acolher essa estreia?

O ibis Porto Centro Mercado do Bolhão é o primeiro hotel em Portugal e na Europa a receber a 100% este novo conceito de design dos hotéis ibis. Foi o primeiro hotel com a nova imagem uma vez que a sua abertura coincidia com o lançamento mundial deste conceito. Além disso, o Porto foi identificado como um destino em franco crescimento e, dada a localização estratégica do ibis Porto Centro Mercado do Bolhão – muito central e junto a diversos pontos de referência –, fazia todo o sentido lançar este hotel já completamente alinhado com a visão da marca.

 

A abertura acontece num contexto particularmente difícil para a hotelaria. Quais são as expetativas para esta unidade?

Sim é verdade… estamos conscientes de que não vamos iniciar as atividades no mesmo mood e operar nos mesmos moldes que anteriormente. O turismo foi uma das áreas mais afetadas pela crise trazida pela Covid-19 e poderá ser das que mais lentamente irá recuperar, não só em Portugal como em todo o mundo. Mas acredito que esta é a oportunidade para as marcas saírem da sua zona de conforto e repensarem a sua comunicação e os seus negócios. Os hotéis estão e terão de continuar a reinventar-se para responder a uma nova realidade, com um novo perfil de visitante, muito mais exigente, mais cauteloso e que procura pelo cumprimento inquestionável de todas as condições de segurança e higiene; por isso, e apesar da particularidade do momento, estamos muito otimistas porque temos tudo isso assegurado.

Por outro lado, mais que nunca, queremos todos “voltar à vida” e recuperar a confiança, queremos sair e descobrir ou redescobrir as nossas cidades, e o ibis Porto Centro Mercado do Bolhão vem oferecer uma experiência inovadora, totalmente voltada para as pessoas, aliada a um produto novo e a uma localização muitíssimo privilegiada. As diversas tipologias de quartos (permitem-nos responder à procura de praticamente todos os tipos de clientes), as características no welcome ao cliente (com o check-in sem receção) ou o que denominamos internamente como o espírito heartist na forma calorosa como as nossas equipas acolhem a todos – mas com o devido distanciamento social –  são algumas das especificidades deste novo hotel, que acreditamos serem diferenciadoras e uma mais-valia em termos de opção de alojamento.

                                                

E para o conjunto dos hotéis ibis em Portugal?

A nossa força está em conhecemos de coração o nosso produto, a estratégia da marca a nível nacional e internacional e a área de negócio. Somos especialistas! Mas ao mesmo tempo faz parte da nossa identidade alimentar a capacidade de manter um espírito aberto e procurar ter sempre um olhar jovem e curioso sobre o mercado, para fazer mais e melhor. Aliás, isso transparece de forma muito clara na própria assinatura da ibis, WE ARE OPEN. Por isso, estamos preparados para esta nova realidade, mantendo a consistência do produto e da marca, que quem nos conhece continuará seguramente a procurar, mas com toda a flexibilidade, despertos para os tempos de mudança e com uma forte e rápida capacidade de adaptação que caracteriza não só a marca ibis, os seus hotéis e as suas excelentes equipas, mas também o povo português em geral.

Por outro lado, temos um cliente muito fidelizado que conhece e confia na marca, promovemos muito a relação de proximidade entre equipas e clientes e isso potencia a seleção dos nossos hotéis, sabemos que temos muitos clientes que valorizam essa ligação e continuarão a sê-lo porque confiam em nós.

Obviamente, temos uma estrutura muito forte e estamos a fazer todos os esforços para implementar e a desenvolver todas as medidas para garantir a segurança dos clientes e dos colaboradores e transmitir tranquilidade, confiança e o conforto nas estadias nos nossos hotéis.

 

Qual é a estratégia para este regresso?

Temos muito claro que uma marca que se limite a esperar que tudo passe é uma marca que terá muitas dificuldades em resistir aos novos comportamentos de mercado – não só pelas restrições que esta pandemia nos veio trazer, mas também pela mudança na economia nacional e internacional. Há que aceitar a nova realidade e adaptar-se, encontrando novas soluções/negócios/ modos operando.

No Grupo Accor, e em particular na marca ibis, há vários meses que trabalhamos no regresso da atividade e na abertura e reabertura de hotéis com o foco no que consideramos realmente importante.

Primeiro a saúde e segurança com o selo ALLSAFE, criado pela Accor em parceria Bureau Veritas, através da qual os hotéis aplicarão novos e rigorosos protocolos de higiene e segurança. Depois, devolver a confiança de viajar. Durante o período de isolamento, ficámos surpreendidos ao ver tantas pessoas a partilhar o seu desejo de viajar. É por este motivo que queremos incentivá-las a fazê-lo, com a máxima segurança. “Paixão por Viajar” é o mote da nossa nova campanha de marketing, que foi lançada no 10 de julho em Portugal. Por outro lado, a flexibilidade nas políticas de cancelamento de reservas. Atualmente e com o grau de incerteza que vivemos é importante proporcionar aos clientes uma maior flexibilidade no momento de fazer as suas reservas, por isso criámos opções de tarifas que podem ser modificadas ou canceladas gratuitamente. O foco na saúde mantém-se: recentemente anunciámos uma parceria estratégica inovadora para fornecer assistência médica aos clientes dos 5000 hotéis Accor em todo o mundo.

Além disso, de forma a adaptar-se às novas circunstâncias, as marcas do grupo estão a criar ou modificar a sua oferta. Por exemplo, potenciarão o uso dos espaços exteriores dos seus hotéis em Portugal e Espanha com a criação do conceito “Open Air Meetings”, reuniões nos terraços e jardins com o objetivo de garantir maiores níveis de segurança entre os participantes. Na experiência e na comunicação adotámos um espírito heartist, porque, hoje, tão importante quanto a segurança, a higiene ou a flexibilidade é manter o que torna a hoteleira uma marca única: as pessoas - H2H (Human to Human). Finalmente, a sustentabilidade, responsabilidade e solidariedade. Numa crise como esta, com um inimigo desconhecido e consequências tão incertas, a solidariedade demonstrada pelas empresas e a capacidade de colocar os seus recursos ao serviço da sociedade será mais valorizada que nunca. A sociedade está a evoluir a passos largos em termos de valores e propriedades e apenas as empresas que saibam adaptar-se a estas novas exigências terão a capacidade de sobreviver a longo prazo.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing