Entrevistas

A Lydia vem facilitar os pagamentos – diz a Carlota

A app financeira francesa Lydia chegou ao País, o primeiro escolhido para a sua expansão. A Country Manager Portugal, Carlota Meirelles, afirma que a plataforma está “totalmente adaptada” ao mercado português e posiciona-se como uma “facilitadora de pagamentos digitais”. A utilização diária das suas funcionalidades é o indicador para medir o sucesso por cá.

quinta-feira, 17 dezembro 2020 11:26
A Lydia vem facilitar os pagamentos – diz a Carlota

Briefing | O que é a Lydia?

Carlota Meirelles | A Lydia é a primeira moeda do mundo, criada no reino de Lydia, atual Turquia. Com base no mesmo propósito – inovação –, foi esta a inspiração da origem do nome da plataforma.

Lydia é a mais importante super-app financeira na Europa, líder em pagamentos digitais, e já conquistou mais de quatro milhões de millenials franceses, que a consideram como a sexta marca mais relevante – com mais de 35% de quota no mercado –, posicionando-se à frente de marcas como a Amazon e a Airbnb.

Numa altura em que os concorrentes estavam concentrados na criação de novas funcionalidades, a Lydia focou-se em criar uma experiência de utilizador exímia, tornando-a única e com um desempenho bastante simples: mesmo quem seja menos digital friendly consegue utilizar a app com facilidade, permitindo-nos assim crescer com as gerações anteriores. As opções, como contas partilhadas e cartões múltiplos, também são destacadas e muito valorizadas por profissionais que a podem partilhar com filhos, cônjuges, companheiros, empregadas domésticas, etc..

 

Como se posiciona no mercado português?

A Lydia posiciona-se no mercado português como uma facilitadora de pagamentos digitais, focada na experiência mobile, que pretende simplificar a utilização destes serviços, principalmente na geração mais jovem.

De origem francesa, a Lydia está totalmente adaptada ao nosso mercado e é a primeira app de pagamentos digitais com soluções nacionais, como é o exemplo do cartão português Visa, que é aceite em todos os estabelecimentos, totalmente gratuito e sem taxas – em Portugal muitos dos terminais de pagamento ainda não aceitam cartões internacionais.

 

Em 2017, a app já havia sido lançada numa versão teste. Por que motivo foi lançada oficialmente agora? A pandemia de Covid-19 interferiu nisso?

A Lydia está em Portugal desde 2017, quando iniciou um teste com a versão reduzida da aplicação apenas para peer-to-peer (pagamento entre amigos). Como o balanço deste período foi bastante positivo e os resultados esperados foram alcançados, Portugal entrou no radar para ser o primeiro país a acolher a expansão internacional da Lydia. Além dos resultados obtidos, outros fatores externos foram avaliados: o facto de Portugal ser conhecido como um early-adopter em soluções tecnológicas, foi fundamental para a decisão final de lançar a super- app com todas as suas funcionalidades adaptadas ao mercado português e com apoio de uma equipa local.

A pandemia causada pela Covid-19 é, sem dúvida, um desafio adicional, no entanto, não interferiu na decisão de lançar a Lydia em Portugal.

 

Quais são os objetivos para este ano? E qual a ambição para 2021?

Mais do que aumentar o número de downloads ou subscrições, a Lydia pretende que os seus utilizadores usem a aplicação e as suas funcionalidades diariamente, efetuando assim todos pagamentos ou dívidas através da plataforma – este será o indicador principal utilizado para medir o sucesso em Portugal.

Nessa sequência, para 2021, a Lydia pretende criar uma base sólida de utilizadores diários, que usufruam de todas as funções desenvolvidas pela app no seu quotidiano, principalmente pagamentos, sejam eles contactless mobile, online ou com cartão físico.

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing