Foresight

Euro2016 conecta marcas e consumidores

 Euro2016 conecta marcas e consumidoresAssiste-se ao início do Euro2016 e, ao mesmo tempo, à atividade dos anunciantes que encontram neste evento uma oportunidade para reforçar a afinidade com o público-alvo. Paralelamente constata-se a alteração da forma como os fãs presenciam a competição e, consequentemente, a transformação do modo como as marcas abordam o mercado e alcançam os consumidores.

segunda-feira, 20 junho 2016 11:52
Euro2016 conecta marcas e consumidores

Este ano – e sem surpresas – a tecnologia assume o papel de destaque na união entre marcas e adeptos, com as redes sociais e o mobile a influenciarem fortemente a comunicação. De acordo com o relatório "Euro2016 Pre-Event Report", realizado pela PHD e FUSE, prevê-se um elevado consumo de vídeo online, bem como um acentuado uso de plataformas "no momento". Estamos a falar de aplicações de mensagens instantâneas como o Whatsapp e o Snapchat que permitem às marcas criar e partilhar histórias, conferindo uma sensação de exclusividade junto dos indivíduos.

Informados e experientes na comunicação e relacionamento através destas plataformas, os consumidores vêm despertar nos profissionais a urgência da comunicação digital. Neste seguimento, mostram-se cada vez mais exigentes nas estratégias utilizadas pelas marcas para os abordarem e nos momentos escolhidos para o efeito.

Embora os fãs de futebol se revelem recetivos à interação das marcas, esta tem que ser conveniente e adequada, nomeadamente quando se trata de uma competição internacional. Neste sentido, recorrendo às redes sociais, várias marcas aproveitam momentos chave para produzir conteúdo em tempo real – e tal é favorável para 42% dos utilizadores de redes sociais inquiridos no estudo da PHD e FUSE, que afirmam gostar quando grandes empresas partilham conteúdo, sobretudo engraçado.

Um excelente exemplo foi a recente ação do Licor Beirão, que tirou proveito de uma falta cometida pelo jogador Bruno Alves contra um adversário inglês durante um jogo de preparação para o Euro2016. A falta decorreu em frente a uma publicidade ao Licor Beirão e a marca aproveitou a situação para escrever um postal a pedir desculpa pelo jogador português, de forma divertida e algo provocadora, juntamente com uma garrafa do "melhor licor de Portugal". 

Simultaneamente são valorizadas as emoções e experiências proporcionadas. Obrigatoriamente atentas às necessidades e preferências do público, as marcas podem (e devem!) tirar partido da tecnologia e conferir experiências intensas e memoráveis. Um exemplo é a realidade virtual que, apesar de ainda não estar ao alcance de qualquer um, tem vindo a ser aperfeiçoada para potenciar novas formas de interação ao vivo.

Perante estes novos hábitos dos indivíduos constata-se como o second screen assume uma posição cada vez mais vincada no quotidiano. Não obstante a importância da televisão, que desempenha ainda um papel fundamental no consumo e se mantém o meio utilizado por muitos fãs para assistir aos jogos, revela-se indispensável a adaptação da comunicação das marcas e o desenvolvimento de ferramentas que permitam segmentar e ajustar a publicidade ao segundo ecrã – 88% dos adeptos do Euro abordados pelo estudo da PHD e FUSE utilizam um dispositivo enquanto assistem ao jogo na televisão.

Em suma, cabe aos anunciantes manterem-se permanentemente atentos e prontos para reagir em direto e contribuir para a partilha global. Consequentemente, tirar proveito das redes sociais, apostar na criatividade e explorar emoções fomentará a envolvência entre marcas e adeptos neste Euro2016, ao mesmo tempo que contribuirá para a consciencialização e construção ou reforço de vínculos. Por fim, permitirá determinar novas estratégias e tendências e, assim, aumentar a vantagem competitiva das marcas presentes neste icónico evento que conecta profissionais e consumidores a nível global.

segunda-feira, 20 junho 2016 14:00

bt nl

O Outdoor Honesto

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing