Impressão Digital

Inês Veloso

O gosto pela comunicação e pelas pessoas foi o que levou Inês Veloso a seguir o caminho de marketeer. Hoje, é diretora de Marketing e Comunicação da Randstad Portugal e revela que, tanto a nível profissional como pessoal, ainda há muito que gostaria de aprender. Admite que, no seu dia a dia, não dispensa a caneta, ainda que não a use todos os dias, e que consegue viver sem gadgets.

terça, 20 março 2018 09:02
Inês Veloso

 

O filme

O filme que mais me marcou foi o “Natural Born Killers”, por tudo e até pela banda sonora. Gostei de outros, mas, em regra, só os vejo uma vez.

A série

“House”, pelo protagonista que, vindo do teatro, traz essa veracidade para a televisão. Pela caracterização perfeita do personagem que se transformou, para mim, numa pessoa real.

O livro

Os livros especiais têm sempre o mesmo autor: Ken Follett. A qualidade jornalística que transforma ficção num verdadeiro relato, aliada à capacidade de nos envolver com diferentes personagens, robustos e com personalidades muito marcadas, faz os seus livros especiais. Não apenas as trilogias, mas também, por exemplo, “O terceiro gémeo”.

O perfume

“Eau de Parfum Soir de Lune”, pela a intensidade e, ao mesmo tempo, discrição.

O gadget

Consigo viver sem gadgets. Só não me consigo separar das pessoas de quem gosto e que me fazem feliz.

O objeto que não pode faltar

Uma caneta. Não que a use todos os dias, mas tenho de a ter. Saber que posso escrever, tirar notas… Nem a tecnologia lhe tira a utilidade.

 Os hobbies

Além da minha vida familiar e social, o meu hobby é escrever. Desde os 13 anos que gosto de criar pequenas histórias, ficcionar a vida das pessoas e viver episódios em papel com a intensidade de quem os viveu mesmo.

Desporto de eleição

Adoro futebol, sou orgulhosamente do Benfica e sempre acompanhei não apenas a nossa liga, como também as competições europeias, a seleção e o futebol espanhol e inglês, principalmente. Enquanto praticante, ainda não me apaixonei por nenhum desporto, mas não desisti.

Cidade estrangeira favorita

Gosto de Amesterdão e de Nova Iorque. A primeira por ser plana, ter água e ter uma organização que nos faz sentir parte integrante dela. A segunda porque tem tudo, não dorme e é sempre possível visitar e conhecer mais uma faceta da cidade.

Melhor destino nacional

Sou apaixonada pela cidade de Lisboa, pelas cores, pelo sol, pelos espaços e pelas pessoas. A Costa Alentejana seria uma segunda opção pelas praias, pessoas e qualidade de vida.

Viajar é …

Ganhar quilómetros de vida, aumentar o capítulo das histórias e guardar momentos. São as pessoas que fazem os destinos, as que lá vivem e as que vão connosco.

Destino de sonho

Gostava de conhecer a Argentina, mas o meu destino de sonho é a Austrália pela diversidade de experiências e de locais.

O ídolo

As pessoas e, em especial, os meus amigos e família. São os únicos que idolatro, que sigo, que acompanho, que me tiram horas de sono e me fazem sorrir a dormir. São, em diferentes campos, um ideal, um exemplo a replicar.

A frase que inspira

Ser feliz. Não é uma frase de alguém e não é em nada original, mas dá muito trabalho e é uma decisão que quando se toma não se pode esquecer e temos, todos os dias, de “trabalhar” para essa mesma felicidade.

A banda sonora

“Viva la vida”, dos Coldplay. Com diferentes momentos, mas sempre em modo “viva la vida”.

Ainda gostaria de aprender…

Muita coisa, não apenas a nível profissional, mas também pessoal. Desde idiomas, à costura, a programação e a motion graphics. Gosto de saber mais, de conseguir fazer e sou a primeira a sentar-se à frente de quem sabe ou simplesmente de um computador para lá chegar.

Tornei-me marketeer porque …

Gosto de comunicar e adoro pessoas. Conhecer o mercado, identificar estratégias para chegar às pessoas, sejam elas consumidores ou empresas, e poder fazê-lo de uma forma criativa e eficiente foi decisivo para ser marketeer.

Se não fosse marketeer teria …

Provavelmente, ficado pela comunicação. Seria jornalista ou simplesmente escritora, se o mundo assim o deixasse.

Uma campanha eficaz …

A eficácia está na capacidade de atingir os objetivos delineados para a campanha cumprindo o alinhamento e a identidade da própria marca. Para sermos eficazes usamos diferentes técnicas criativas, meios e formatos que contribuem para o sucesso ou insucesso da campanha.

Gostaria de ter estado envolvida…

Na campanha da Heineken “The interview”, que é um excelente exemplo de uma campanha de employer brand e que foi distinguida em 2013. Mais recentemente, a mesma marca lançou o site “The candidate” que é outro exemplo muito bem conseguido.

Para protagonizar uma campanha Randstad…

Gostaria de ter candidatos e pessoas que tenhamos colocado a trabalhar e que por isso tenham tido acesso a novas oportunidades. Gostava muito de comunicar esta vertente humana dos RH, que muitas vezes é esquecida.

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing