Impressão Digital

Joana Sousa

Não vive sem o iPhone nem Coca-Cola. Mais do que marcas, são já vícios, confessa Joana Sousa. Tal como, naturalmente, sem a Estherderm, de que é diretora de Marketing em Portugal. A profissão, essa, surgiu porque adora diversidade: deixar a criatividade voar, rodeada de números e padrões.

segunda, 29 julho 2019 11:01
Joana Sousa

 

Um objeto indispensável
IPhone, que vício... não sai da minha mão!!

Um livro memorável
“Eva Luna”, de Isabel Allende. Que personagem apaixonante, descrita por uma escritora única que me faz sonhar cada vez que pego num dos seus livros.

O filme da minha vida
Tantos... difícil, difícil... No campo das comédias românticas “Love Actually”, mas não posso deixar de lado “A Gaiola Dourada”, que tanto me fez rir. Nos dramas, “Beautiful Mind”.

O hobby 
No desporto, o ténis que me permite gastar energia, além disso, óbvio que, também gastando energia, brincar com os meus filhos!

Uma figura inspiradora
Os meus filhos! Inspiram-me todos os dias a fazer mais e melhor...

A série de eleição
Também muitas... talvez “Anatomia de Grey”, por sempre ter gostado do ambiente hospitalar e me permitir descontrair ao fim do dia, e “Prision Break” – desde logo que a história e a personalidade do Michael Scofield me conquistaram.

Banda sonora da vida
Banda sonora dos filmes “Armageddon” e “Robin Hood”.

Um destino inesquecível
Tailândia, pelos momentos de convívio que lá vivi, pelas paisagens deslumbrantes e pelas águas cristalinas em que tive a sorte de mergulhar para ver toda a diversidade de fauna e flora subaquática. Também não esquecerei o Cabo da Boa Esperança e o orgulho que mais uma vez senti em ser portuguesa ao ver onde os nossos antepassados chegaram em tempos que nada se assemelham aos nossos.

Onde não voltarei
Hammamet, Tunísia. Talvez devesse dar uma segunda oportunidade, mas, de facto, simplesmente não me inspirou.

O carimbo que falta no passaporte
Muitos.... Macau, tudo o que está ligado com a História do nosso país desperta em mim um interesse particular; e, na América do Sul, Peru, sem dúvida, não só pela magia de Machu Picchu, mas por toda a envolvente cultural que gostaria de descobrir.

O recanto em Lisboa
Belém, adoro o aspeto arrumado e limpo. Adoro a proximidade com o Tejo e a vista para a imponente Ponte 25 de Abril.

Tornei-me marketeer porque
Adoro a diversidade, cativa-me poder criar, mas, ao mesmo tempo, estar rodeada de números e padrões. Estimula-me e motiva-me analisar o mercado, potenciar o que de melhor há num produto, definir uma estratégia e, no fim, colher os frutos.

Se não fosse marketeer seria
Arquiteta. Muito diferente, mas muito parecido no sentido em que combina a criatividade e o rigor.

A estratégia de marketing perfeita é
Deixar a criatividade voar, numa companhia que domina a área, sustentada de conhecimento do produto e mercado.

Uma marca de sempre
Coca-cola... sim, completamente viciada!

Marca com que gostaria de trabalhar
Além das marcas que trabalho? Difícil escolher, mas talvez numa área completamente distinta da cosmética, pela possibilidade de aprendizagem.

O rosto ideal para uma campanha da Estherderm
Catarina Furtado, não só pela beleza e particularidade do seu rosto, mas, sobretudo, pela positividade que transmite.

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing