Marketing

Madrid 2020, o logo da discórdia

Madrid 2020, o logo da discórdia

Mal foi tornado público, ontem de manhã, o logótipo da candidatura de Madrid aos Jogos Olímpicos de 2020 tornou-se no logo da discórdia, com as redes sociais a serem o principal veículo das críticas. Foi precisamente através do Twitter que foi revelada a versão original da imagem, criada por Luis Peiret, vencedor do concurso promovido entre estudantes de design.

terça-feira, 31 janeiro 2012 12:33

 

Inspirado num dos monumentos emblemáticos de Madrid, a Porta de Alcalá, o logo divulgado na cerimónia oficial apresenta cinco arcos coloridos, simbolizando os aros olímpicos, e nos quais estão desenhos traços ambíguos que geraram polémica: para uns representam a letra "m" e os números 2 e 0, significando Madrid 20, mas, para outros, parecem formar 20020. Também a palavra Madrid, no rebordo inferior do logo, aparece mal acentuada. Além de que o continente africano – habitualmente identificado pela cor negra – não parece estar representado.

Não era, assim, contudo, o desenho de Luis Peiret, que apresenta traços mais direitos, um dos cinco elementos coloridos é negro e os símbolos neles inscritos não deixam dúvidas – são a letra "m" e os algarismos 2 e 0. Também a palavra Madrid aparece com a acentuação correta.

Citado pelo El País, Peiret explicou que uma das condições do concurso definia que "uma empresa de prestígio" poderia alterar o logo original: "Eles saberão por que o cortaram assim e por que colocaram um acento em Madrid", disse. "Não tenho nada a ver com o desenho final do logótipo, é diferente do que apresentei. Gostava mais do meu", acrescentou.

O desenho original foi, de facto, modificado pela empresa TAPSA, que assina a imagem final.

As críticas ao logótipo apontam também no sentido de que é muito parecido com o da candidatura aos jogos de 2016, em que Madrid se fez representar por uma mão aberta e, desta vez, os arcos também podem ser interpretados como sendo cinco dedos.

A polémica mais recente envolve uma acusação de plágio. A empresa Macaisa, que fabrica "as primeiras mascotes gay do mundo", acusa Madrid 2020 de ter copiado o seu logo e o desenho dos bonecos, apresentados a semana passada na feira de turismo da capital espanhola, Fitur.

"Ligaram-nos de vários sítios do mundo para nos dizerem que o logo olímpico é igual ao nosso", disse um porta-voz da empresa, citado pelo El Mundo.

Fonte: El Mundo e El País

bt nl

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing