Marketing

Portugueses acreditam que vão sair da crise a médio prazo

Portugueses acreditam que vão sair da crise a médio prazo
Os consumidores portugueses acreditam que o país vai sair da crise, a médio prazo. Apesar de terem as expetativas económicas mais baixas a nível europeu, ainda conseguem ter algum otimismo em relação ao futuro, segundo revela a sondagem do Consumor Climate Europe da GfK.

sexta-feira, 17 fevereiro 2012 11:29

No estudo participaram cidadão de doze países - Alemanha, Áustria, Bulgária, Espanha, França, Grécia, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido, República Checa e Roménia -, o que representa cerca de 80 por cento da população dos 27 países membros da União Europeia (UE). No topo da lista com as melhores expetativas económicas encontram-se a Alemanha e a Espanha.

De acordo com a sondagem, até dezembro do ano passado as expetativas económicas baixaram acentuadamente na maioria dos países da UE. Os melhores valores, ainda que negativos, encontram-se, atualmente, na Alemanha (-0,9 pontos) e em Espanha (-3,6 pontos), seguindo-se da Bulgária (-25,5 pontos), que ocupa o terceiro lugar. Portugal encontra-se no final da lista, com -54,7 pontos, seguido da Grécia (-58,6 pontos) e da República Checa (-63 pontos).

O desempenho económico em Portugal desceu significativamente durante o último ano: no terceiro trimestre de 2011 foi de -0,9 por cento, em comparação com o ano anterior, "e pensa-se que durante o quarto trimestre a descida terá sido ainda mais marcada", revela a GfK.

Contudo, ainda que as expetativas económicas dos portugueses tenham continuado baixas, recuperaram ligeiramente no último trimestre de ano passado, subindo de -60,9 ponto, em outubro, para -54,7 pontos, em dezembro.

Relativamente às expetativas de rendimentos, o desemprego e o aumento dos impostos fizeram cair este indicador um pouco por toda a Europa. Os países mais pessimistas são a Grécia (-65 pontos), Itália (-60,7 pontos) e França (-60,4 pontos). Já a Alemanha demarcou-se da situação dos outros países europeus, registando um valor de 34 pontos.

No que toca à disposição de comprar, a sondagem revela que pela primeira vez, desde setembro de 2008, a Alemanha ocupa o segundo lugar. Na altura era a Bulgária que registava um valor mais alto. Atualmente é a Áustria que está à frente da Alemanha, com valores indicadores de 35,6 pontos e 27,4 pontos, respetivamente. Em França o caso é outro, com -29,8 pontos, assim como em Portugal (-44,1 pontos) e no Reino Unido (-54,8 pontos).

Fonte: LPM

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing