Marketing

Petit Patapon, há 25 anos a vestir crianças

Petit Patapon, há 25 anos a vestir crianças
Em 1987 nascia a marca Petit Patapon. Apesar da criadora, Noëlle Tutenuit, ser francesa, a insígnia de roupa de criança foi criada em Portugal durante o tempo em que esta viveu no país, onde educou os cinco filhos. Hoje, 25 anos depois, Tutenuit reside em França mas a casa-mãe da Petit Patapon continua a ser Portugal, onde se alia o design francês ao know-how têxtil português.

quinta-feira, 08 março 2012 12:42

Ao longo dos anos, a insígnia apenas se ajustou "face às necessidades dos mercados e ao crescimento internacional, mas a identidade e os valores da marca" mantiveram-se inalterados, revela ao Briefing Cláudia Senra, diretora de marketing e comunicação da Petita Patapon. "Uma marca que aposta na internacionalização, tem de se moldar às várias culturas e geografias, por isso há a necessidade permanente de criar coleções completas que se adaptem às necessidades de todos os país", acrescenta.

Atualmente, a Petit Patapon conta com lojas em Portugal, Itália, Rússia, Taiwan, Chipre e Perú mas através de loja online vende ainda para outros 29 países.  A marca também pode ser encontrada em department stores selecionadas em Portugal – El Corte Inglés -, França – Le Bom Marché-Paris e Printemps -, Taiwan – Shin-Kong Mitsukoshi – e Japão (Takako).

A combinação dos três pilares-base da marca - o estilo e design do produto, o preço médio e acessível, e a qualidade – "traduz-se na emoção das clientes"; emoção essa que acaba por ser o principal valor da insígnia. É deste modo, que a Petit Patapon consegue manter uma "relação próxima com os seus clientes", realça Cláudia Senra. Por isso, é com eles que a marca vai comemorar este um quarto de século de existência: "Ao longo de todo o ano, vamos ter diversas iniciativas em que o número '25' é o elemento principal, e o principal mote para campanhas, concursos e atividades diversas", explica ao Briefing a responsável.

Para comunicar os produtos, a Petit Patapon acredita que o marketing mouth-to-mouth continua a ser o meio mais eficaz e credível, vendo nos "clientes o melhor meio de comunicação", afirma a diretora, acrescentando que o "produto e a expansão (cobertura geográfica da marca) são as duas maiores forças de comunicação. Quando conhecem ou contactam [clientes] a marca e o produto, normalmente ficam 'addicted'". Contudo, a insígnia desenvolve, também, um trabalho específico com a imprensa. Mas Cláudia Senra confidencia: "As celebridades são ainda uma 'arma secreta'". "Não costumamos falar nisto mas há, de facto, celebridades que são clientes, outras a quem enviamos um presente quando o bebé nasce e tornam-se clientes", conclui.

Catarina Caldeira Baguinho
Fonte: Briefing

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing