Marketing

Portugueses dispostos a pagar mais por um produto inovador

Portugueses dispostos a pagar mais por um produto inovador
A maioria dos portugueses (89 por cento) gosta de experimentar novos produtos, sendo as mulheres aquelas que estão mais abertas à novidade. Estes são os dados do estudo "Produto do ano 2012" (PDA), realizado pela TNS, do Grupo Kantar.

sexta-feira, 30 março 2012 11:13

A análise revela ainda que uma percentagem muito alta de consumidores – 76,5 por cento – afirma estar disposta a pagar mais por um produto novo que a satisfaça, valorizando, sobretudo, a relação qualidade-preço, os benefícios para a saúde e o sabor.

Ao contrário do que acontecia, já não são os jovens (18-24 anos) a faixa etária que gosta mais de experimentar novos produtos; agora, são os indivíduos entre os 25 e os 34 anos quem lidera a apetência pela inovação.

Apesar de o estudo revelar que os consumidores estão dispostos a pagar mais por um produto inovador, a sensibilidade ao preço acompanha a conjuntura económica: a maioria dos portugueses revela estar disposta a pagar, aproximadamente, dois euros a mais por um produto inovador nas várias categorias abrangidas, exceto em eletrodomésticos, onde a maioria dos consumidores está disposta a pagar 25 euros a mais pela inovação.

Mas as conclusões do estudo apontam que o aspeto mais valorizado pelos portugueses aquando da compra de um novo produto é a relação qualidade-preço – 85,5 por cento. Esta percentagem pouco difere em relação ao ano passado (84 por cento), sendo que nos últimos três anos tem vindo a crescer em importância.

Os benefícios para a saúde são também relevantes para os inquiridos – 45,9 por cento -, assim como o sabor – 30,2 por cento. A valorização das características ecológicas dos produtos, que no ano passado ocupava o terceiro lugar como driver no momento da compra, passa agora para quarto lugar, com uma média de 32 por cento dos consumidores a indicá-lo como fator decisivo.

"Curiosamente, são os homens (30,9 por cento) e os seniores (faixa etária dos 55-64) quem mais valoriza as características ecológicas dos produtos", revela o estudo. Por seu turno, os jovens são os que revelam maior apetência pelas novas tecnologias e portabilidade. A mesma faixa etária é, também, a que valoriza mais o fator lúdico – 11,6 por cento dos jovens e apenas 1,7 por cento dos seniores.

O Produto do Ano leva a cabo, anualmente, um estudo onde os consumidores elegem, mediante voto direto, os produtos de consumo mais inovadores do ano. Este estudo foi efetuado pela TNS, no âmbito da Eleição Produto do Ano, junto do seu painel de lares, que abrange mais de dois mil indivíduos, representativo da população portuguesa.

Fonte: Weber Shandwick | D&E

bt nl

Liga-te com o Coração

À Escolha do Consumidor

Edições Especiais

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing