Marketing

Lisboa tem agora um "Bom dia"

 

Lisboa tem agora um
Da ideia de um estudante de economia numa plena visita de estudo a Madrid, nasce a ideia que veio mudar as manhãs dos lisboetas, de forma saudável e rápida. O Briefing falou com Tiago Neves, responsável pelo projeto, para saber mais sobre este negócio que tem vindo a dar "frutos" a muita gente.

quinta, 10 maio 2012 11:55

De partida para Madrid para conhecer a realidade das empresas espanholas, Tiago Neves sentiu na pele a dificuldade de tomar um pequeno-almoço "em condições", barato, rápido e saudável.

E foi centrado nesta ideia, que juntou mais três amigos e pôs mãos à obra. Primeiro de tudo o nome a dar. Para Tiago este teria de ser apelativo e fácil de entender por parte das pessoas. Surge então "Bom dia Lisboa" que vem transmitir uma relação simpática entre a marca e o consumidor, em ter um bom começo de dia com os seus serviços.

À marca juntaram-se cinco menus que reúnem tudo o que constitui um pequeno-almoço à portuguesa, para que os lisboetas não percam tempo.

Uma peça de fruta e leite ou iogurte, uma sandes mista, um croissant e sumos naturais são os produtos que prevalecem. De apenas um euro a um 1.90, qualquer um de nós pode agora tomar a mais importante refeição do dia sem que "apertar o cinto".

Mas porque este não é um projeto qualquer, Tiago Neves saltou da ideia de uma loja convencional e foi dar os "bons dias Lisboa" para as estações de metro do Saldanha, S. Sebastião e Odivelas.

No entanto, Tiago refere que outras estações, nomeadamente de comboio ou barcos são uma escolha a desenvolver. E espera ainda ter até ao final deste ano sete novas bancas espalhas por Lisboa.

Uma outra ideia para o futuro está em incluir novos produtos nos menus, sendo o tradicional "galão" pronto a levar, uma opção bastante perto de se vir a realizar.

Questionado sobre a evolução do "Bom Dia Lisboa" para um eventual "Boa Tarde Lisboa", Tiago responde com entusiasmo e afirma que "é uma ideia a pensar". Porque além do importante pequeno-almoço, a verdade é que os lanches também precisam de tempo, explicou.

Além de já andar pelas bocas de muitos lisboetas, este projeto já regista quase 1.500 gostos na sua página de Facebook, um facto que revela uma margem bastante positiva de uma ideia que apenas "teve pernas" no início deste ano.

Patrícia Carloto Matos

Fonte: Briefing

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing