Marketing

Santa Casa, Diogo e Emanuel à procura do sucesso em Cannes

Santa Casa, Diogo e Emanuel à procura do sucesso em Cannes

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa associou-se à competição Young Lions e desafiou jovens talentos para modernizarem a imagem da instituição. Agora, estão todos a caminho de Cannes. Ana Delgado, diretora da Direção de Comunicação e Marketing da Santa Casa, e Manuel Diogo Crespo e Emanuel José Serôdio (ArcWW / Leo Burnett), em entrevista ao Briefing, falam sobre as suas expectativas para este evento.

quarta-feira, 12 junho 2013 12:08

 

Ana Delgado, Diretora da Direção de Comunicação e Marketing da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Briefing | Que balanço é que a Santa Casa faz do concurso de modernização de imagem?
Ana Delgado | É um balanço positivo quanto mais não seja pela narrativa que está associada à competição Young Lions, de apoio aos jovens talentos em início de carreira, aproveitando uma necessidade concreta de comunicação da Santa Casa.

Briefing | Porque é que a instituição se associou ao Cannes Lions?
AD | A Santa Casa associou-se ao Cannes Lions para reafirmar o seu atual posicionamento que assenta em valores comuns – responsabilidade social, conhecimento, inovação e empreendedorismo. Apostar na criatividade nacional e no conhecimento investindo no futuro dos mais jovens é o corolário da atual assinatura da marca: "Por boas causas".
Trata-se, igualmente, de uma oportunidade única de a Santa Casa estar presente e ter um papel interventivo no maior Festival Internacional de Criatividade do Mundo, contribuindo para reforçar a notoriedade e a projeção da marca a nível nacional e internacional.

Briefing | Quais as suas expectativas em relação ao festival?
AD | Tendo em conta o impacto da competição na trajetória de vida dos jovens criativos, as minhas expectativas é que alcancem excelentes resultados em Cannes. Estou expectante, também, em relação às tendências de médio/longo prazo nessa indústria mundial de criatividade que é acenada de inspiração em Cannes.

Manuel Diogo Crespo e Emanuel José Serôdio (ArcWW / Leo Burnett)

Briefing | Que expectativas é que levam para Cannes?
Manuel Diogo Crespo e Emanuel José Serôdio | As expectativas que temos foram criadas por pessoas que conhecemos e que estiveram nesta competição em Cannes. Sabemos que há muitas conferências, muito bom trabalho, muitas festas, muitas pessoas influentes deste meio e muitas oportunidades de networking. Sabemos também que há várias coisas a acontecer ao mesmo tempo mas, para já, estamos focados na competição. Depois vamos tentar aproveitar ao máximo todas as oportunidades que surgirem.

Briefing | O que significa esta presença em termos de carreira profissional?
MDC e EJS | Acreditamos que isso só vamos saber quando lá estivermos. Apesar de sermos amigos, temos percursos diferentes e objetivos diferentes mas, naturalmente, existe muita coisa em aberto. Sabemos que vai ser uma ótima experiência e estamos entusiasmados.

Briefing | Como surgiu a ideia de participarem no concurso?
MDC e EJS | Ambos participámos na edição dos Young Lions 2012 mas com duplas diferentes. Eu (Emanuel) não tinha expectativas e acabei por ficar em segundo lugar. Fiquei contente mas a pensar que conseguia fazer melhor. Vi o trabalho do Manuel e gostei bastante do resultado. Foi nessa altura que decidimos concorrer juntos no ano seguinte. Juntámos ideias e resultou!

Briefing | Como esperam "rentabilizar" esta vitória em Portugal?
MDC e EJS | Esta vitória não altera a nossa forma de pensar em termos profissionais. Temos confiança no nosso trabalho e naquilo que temos vindo a fazer. Vamos continuar a fazer tudo da mesma forma porque no fundo "temos amor à camisola". Gostamos de ser o que somos e de ter esta profissão mas reconhecemos que é importante estarmos atentos e não nos contentarmos apenas com o nosso trabalho diário. Temos que continuar e sem medo de errar, porque são os erros que nos abrem a cabeça e nos fazem progredir.

Briefing | Onde fizeram a formação e como se lançaram na profissão?
EJS | Formei-me no IADE em 2008 e assim que acabei o curso comecei a trabalhar na Santa Fé Associates onde estive 3 anos. Foram anos duros, porque o ritmo de trabalho era elevado, mas foi a escola que me fez crescer como designer e onde conheci muitas pessoas que ainda hoje admiro e que mudaram a minha forma de pensar. Em 2011 surgiu um convite por parte da ARC e aceitei porque achei que estava na altura de mudar. Agora sinto-me bem na ARC e sei que ainda há muito para fazer e aprender.

MDC | Formei-me também no IADE em 2008 e iniciei a minha carreira de designer em 2009, como freelancer. Em 2011 integrei o grupo BBDO, primeiro na Proximity Digital, passando, pouco tempo depois, para a RMAC Brand Design que sempre foi uma referência para mim e foi onde cresci bastante e aprendi com excelentes profissionais. Este percurso deu-me knowhow e confiança para partir para novos desafios. Em 2012 fui convidado para fazer parte da ARC /Leo Burnett, onde trabalho atualmente, com o Emanuel e com uma excelente equipa de criativos.

Fonte: Briefing

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing