Marketing

Ensaísta, autobiógrafo ou poeta livre?

Estes são os três arquétipos do consumidor de bens de luxo, de acordo com o estudo "Shared Stories", promovido pela agência UM. Em foco também o modo como esses consumidores usam os media nas rotinas diárias, para criar e partilhar histórias – são os luxury storytellers.

quinta, 10 abril 2014 11:33
Ensaísta, autobiógrafo ou poeta livre?

No que respeita aos perfis, o ensaísta é o protótipo do consumidor de luxo chinês, focado em absorver as especificidades culturais próprias dos locais que visita. O autobiógrafo representa o consumidor de luxo russo, que vivencia o expoente máximo da vida perfeita, projetando-a de modo a promover-se. Já o poeta livre é o consumidor de luxo do Médio-Oriente, que tenta descobrir marcas ou experiências que lhes confiram exclusividade.

Num comentário às conclusões do estudo, o diretor-geral da UM Portugal, Pedro Batista, afirma que conhecer o perfil dos consumidores de vens de luxo, nomeadamente dos influenciadores, é uma mais-valia para a diferenciação das mensagens num contexto de crescimento do mercado de luxo.

Este estudo foi levado em cabo em mercados como Londres, Moscovo, Riade, Dubai, Shangai e Hong Kong e resulta do trabalho da rede internacional da UM com marcas de luxo como a Tiffany & Co. ou a Harrods.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing