Marketing

Os Jogos Santa Casa estão no Rio. Pela superação

Com o objetivo de evitar o abandono precoce do desporto de alto rendimento ou dos estudos, os Jogos Santa Casa atribui bolsas de educação aos atletas. Uma estratégia que, segundo a diretora de Comunicação do Departamento de Jogos, Maria João Matos, não se enquadra numa lógica comercial, de procura notoriedade ou retorno financeiro.

terça, 09 agosto 2016 13:23
Os Jogos Santa Casa estão no Rio. Pela superação


Desde 2013 que os Jogos Santa Casa têm vindo a trabalhar com o Comité Olímpico de Portugal, sendo parceiros dos programas de responsabilidade social no âmbito da educação. Este apoio ganha forma em bolsas de educação destinadas a atletas integrados nos programas de preparação olímpica que estejam matriculados em instituições de ensino superior, inscritos em licenciaturas ou mestrados. Com um valor pecuniário de 3 mil euros cada, as bolsas têm, segundo a diretora de Comunicação do Departamento de Jogos, Maria João Matos, o objetivo de evitar o abandono precoce do desporto de alto rendimento ou o abandono dos estudos que, com regularidade, ocorre por dificuldades de compatibilização dos mesmos.


Um investimento que, de acordo com a diretora, se enquadra "perfeitamente" na estratégia de comunicação e de patrocínios dos Jogos Santa Casa. Isto porque, a marca se revê nas políticas de responsabilidade social do Comité Olímpico de Portugal, quer na promoção dos valores e do espírito olímpico, quer na defesa da igualdade e inclusão pela prática desportiva, defendidos especialmente pelo Comité Paralímpico de Portugal, entidade que também patrocina.

 

"Não só pela proximidade de valores entre as entidades, mas sobretudo pelos resultados decorrentes destes apoios (em número de atletas apoiados com as bolsas de educação que conseguiram singrar em termos desportivos, vindo mesmo a integrar as equipas de Portugal nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos deste ano), os Jogos Santa Casa defendem este apoio como uma clara e forte aposta: na participação ativa num futuro sustentado em valores como a perseverança e a superação", concretiza a diretora. Adiantando que esta estratégia de apoio está "em linha com o que é feito lá fora pelas demais lotarias de Estado, que têm, também, um papel preponderante no apoio aos seus comités olímpicos e paralímpicos nacionais". Sob esta filosofia, os jogos Santa Casa atribuíram, no último ano, 22 bolsas de educação ao Comité Paralímpico de Portugal e Comité Olímpico de Portugal, num valor global de 66 mil euros. Desde 2014, este programa global de educação já atribuiu 87 bolsas de estudo, aos atletas do Comité Olímpico Português e do CPP, no valor global de 252 mil euros.


No entanto, ressalva a diretora que a parceria da marca com o Comité não deverá enquadrar-se numa lógica comercial, de procura notoriedade de marca e retorno financeiro. No cumprimento da sua missão, os Jogos Santa Casa financiam "vários projetos de estímulo à prática da atividade desportiva no sentido do desenvolvimento de programas e estilos de vida saudáveis, da valorização do esforço e do mérito desportivo no apoio a talentos nacionais e, muito importante, do apoio ao desporto enquanto motor de coesão e integração social". Mas, afirma, nem sempre o trabalho árduo é suficiente para se conseguir vencer obstáculos. Pelo que coube aos Jogos Santa Casa ajudar a criar as condições necessárias para essa vitória – "nos estudos, no desporto, na vida".

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing