Marketing

"Pessoas Positivas, Planeta Positivo", com a Ikea

Na IKEA, mais do que uma política, a sustentabilidade é parte da cultura e da forma de trabalhar, sendo transversal a todo o negócio desde que a empresa sueca foi fundada, em 1943. Cláudia Domingues, que detém o pelouro em Portugal, reforça, no entanto, que os valores da sustentabilidade são "mais relevantes do que nunca", tendo em conta os desafios sociais e ambientais que se colocam a nível global.

sexta-feira, 04 agosto 2017 12:55
"Pessoas Positivas, Planeta Positivo", com a Ikea

"Por isso, enquanto empresa multinacional, na IKEA temos a responsabilidade – e também a oportunidade – de criar um impacto positivo nas pessoas, nas empresas e no planeta", refere a diretora de sustentabilidade da IKEA Portugal. Daí a assinatura da estratégia de sustentabilidade da empresa – "Pessoas Positivas, Planeta Positivo". A ambição é inspirar os clientes de todo o mundo a viver uma vida mais sustentável em casa, tornar a empresa independente a nível energético e de recursos e assumir um papel de liderança na criação de um melhor dia a dia para as comunidades. No dia a dia, diz, há provas deste caminho: "Se já reparou, todas as soluções de iluminação disponíveis nas nossas lojas são LED, que têm um consumo energético 85% inferior às lâmpadas incandescentes e uma duração média de 20 anos. Também instalámos iluminação LED em todas as nossas lojas, o que nos permite aumentar a eficiência energética. Além disso, estamos a investir cinco milhões de euros na instalação de painéis solares na cobertura dos nossos edifícios, o que nos vai permitir produzir cerca de 26% da energia necessária para as nossas operações", refere. Há também marcas na relação com os parceiros, por via de um código de conduta para fornecedores, o IWAY. Criado em 2000, orienta-os nos princípios a seguir a nível ambiental, o impacto social e as condições de trabalho que oferecem aos seus colaboradores – existem mais de 600 mil pessoas em todo o mundo que são funcionárias de fornecedores diretos da IKEA.

Cláudia Domingues acredita também que o sentido da sustentabilidade e das atitudes responsáveis é melhorar o negócio e permitir uma mudança positiva: "Confesso que esta é uma das coisas que mais me inspira na IKEA, como procuramos todos os dias fazer melhor e criar mais valor, seja para a empresa, para as pessoas, para o ambiente". No fundo – destaca – o compromisso de responsabilidade das empresas contribui para o desenvolvimento da marca e da sua reputação, o que, no final do dia, é o que leva as pessoas a confiar, a preferir, a comprar e a recomendar uma marca. E são muitas as que interagem com a IKEA: mais de 783 milhões de visitantes nas lojas em todo o mundo e mais de 2,1 milhões de visitantes online. "Estes números significam que temos uma grande oportunidade de inspirar as pessoas para um dia a dia mais sustentável nas suas casas". E é isso que os consumidores procuram? Na IKEA entende-se que sim, que os clientes procuram cada vez mais fazer compras informadas, considerando a fonte dos recursos e materiais utilizados, o processo de produção, a reutilização, a reciclagem ou a solução no fim de vida dos produtos. "Diria que são os próprios clientes que esperam da IKEA um comportamento responsável e participativo nas comunidades. E na verdade, é assim que deve ser: os clientes também têm o papel de serem exigentes no que esperam das marcas, só assim poderemos criar uma transformação positiva para o negócio, para as pessoas e para o planeta".

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing