Marketing

Confiar nas marcas? Sim, mas sem facultar dados, diz a Cetelem

Quase metade dos portugueses, 49% dos inquiridos no estudo do Observador Cetelem Consumo 2017, confia nas marcas. Mostram-se, porém, preocupados em comunicar os dados pessoais a certas marcas ou sites de compras online (83%).

sexta-feira, 29 setembro 2017 16:36
Confiar nas marcas? Sim, mas sem facultar dados, diz a Cetelem

Os portugueses são mesmo os inquiridos com menos confiança nestas matérias, seguidos de muito perto pelos polacos, com 82% de inquiridos a assumir esta preocupação. Os dinamarqueses e húngaros são os que se mostram menos receosos: 49%. Em média global, 64% dos europeus dizem ter pouca confiança na segurança dos seus dados online.

Ainda assim, os portugueses admitem que, de futuro, estarão prontos para dar mais informações a marcas ou sites, se isto lhes permitir aceder a serviços mais personalizados, como ofertas promocionais – 54% dos inquiridos nacionais assumem-se preparados para tal. Este é um valor 10% acima da média global deste estudo.

Desta vez, e entre todos os países analisados neste estudo, os italianos parecem ser aqueles que têm maior predisposição para dar informações em troca de serviços personalizados, com 62% de respostas positivas. Já os alemães são os que demonstram menos vontade em facultar informações a marcas e sites.

Globalmente, os dinamarqueses demonstram a maior confiança nas marcas, com 54% de respostas nesse sentido. Pelo contrário, os inquiridos austríacos mostram-se os mais céticos, com apenas 37% de respostas positivas.

O "Observador Cetelem Consumo na Europa: Novos Caminhos para a Confiança 2017" foi realizado em 15 países da União Europeia.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

À Escolha do Consumidor

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing