Marketing

Ainda há histórias de Natal por inventar?

"Claro que sim!", diz a uppOut. Na agência, defendem que "a criatividade é ilimitada" e que "quanto mais a usarmos, mais teremos".

sexta, 24 novembro 2017 12:47
Ainda há histórias de Natal por inventar?

 

O Natal é uma época propícia ao amor, à partilha...e à publicidade. As marcas aproveitam esta altura do ano, em que todos estamos de coração mole e dispostos a gastar um pouco mais, para se fazerem notar e surgem campanhas atrás de campanhas. Se algumas surpreendem, seja pela ideia, seja pela produção, outras parecem repetir-se, nas histórias, nas cores, nas músicas... Por isso, a pergunta impunha-se: Ainda há histórias de Natal por inventar?

Lançámos a questão à uppOut e o Ricardo Paiágua deu-nos a sua visão: "Claro que sim. Somos ilimitados na nossa existência e criatividade, todos e cada um de nós. As histórias e estórias que são vividas imaginadas, contadas e que nos chegam aos ouvidos ou às mãos, têm origem numa amostra reduzidíssima de possíveis intervenientes. Nesse sentido, há sempre algo novo ou diferente para contar, inventar ou viver". No entanto - alerta o diretor criativo -, "começa a banalizar-se a clássica comunicação produzida em torno do ambiente familiar, saudosismo e solidariedade. É, literalmente, sempre a mesma história".

E como seria uma boa campanha de Natal para a Briefing? Nós perguntámos e a upOut respondeu-nos com outra questão: "E se fosse na Briefing que tudo começasse para o Pai Natal?"

As respostas e a análise ao Natal mais ou menos criativo da publicidade estão neste vídeo, que conta com Ricardo Paiágua e Pedro Bento, mas onde o protagonista é o CoCó.

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Vídeo

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing