Marketing

Mundial 2018: CR7 é ouro e Portugal é prata (no Insta)

O Mundial Rússia 2018 teve uma audiência estimada de três mil milhões de pessoas e, nas redes sociais, Cristiano Ronaldo confirmou ser o futebolista mais popular. Por sua vez, Portugal foi o segundo país com mais interações geradas, apenas a ser ultrapassado pelo Brasil, que ocupou o primeiro lugar. As conclusões são do relatório da Primetag.

quinta, 26 julho 2018 12:11
Mundial 2018: CR7 é ouro e Portugal é prata (no Insta)

 

A Primetag observou, durante o Mundial 2018, as contas de Instagram de todos os jogadores convocados, num total de 689 jogadores abrangidos pelo estudo. Nas redes sociais, durante a competição, o Instagram dos jogadores convocados recebeu um total de 990 milhões de interações e 287 milhões de visualizações.

“É o equivalente a dizer uma em cada sete pessoas no Mundo interagiu com um conteúdo produzido por um atleta que disputou o Mundial, em apenas 30 dias. São números astronómicos que atestam bem o alcance e a influência que estes atletas têm a nível global” explica o CEO da Primetag, Manuel Albuquerque.

Cristiano Ronaldo não só arrebatou o primeiro lugar do ranking, com 110 milhões de interações, como ainda o fez com um número significativamente inferior de publicações (17) relativamente ao segundo classificado, Neymar Jr (98 milhões de interações, 27 “posts”). O pódio fecha com um representante francês, Paul Pogba (36 milhões de interações e 43 publicações).

O Brasil foi o país mais popular nas redes sociais com quase 194 milhões de interações geradas, um valor equiparável à população brasileira. Em segundo lugar ficou Portugal, com mais de 120 milhões de interações, sustentadas pela indiscutível popularidade de Cristiano Ronaldo. A França, vencedora desportiva do torneio, ficou no lugar mais baixo do pódio, com uma performance social muito alicerçada no troféu alcançado.

“O impacto das redes sociais é esmagador. Muda o paradigma sociológico, muda o paradigma desportivo, tudo se altera com estas novas plataformas. Ao contratar um jogador, um clube tem que ter em conta a sua performance social, e não apenas a desportiva. Vendas de camisolas, de lugares anuais, direitos de transmissão televisiva, patrocinadores, tudo isto é impactado consoante a popularidade dos jogadores”, acrescenta Manuel Albuquerque.

Esta popularidade também é refletida no sucesso das marcas patrocinadoras. No caso da “luta” entre a Nike e a Adidas, a primeira ganha por patrocinar jogadores e seleções com mais interações (por exemplo os jogadores Cristiano Ronaldo e Neymar pela Nike; e Messi e Pogba pela Adidas; as seleções que compõem o pódio das com maior número de interações são as três patrocinadas pela Nike).

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing