Marketing

Inovação é tendência para a LactAçores

Presente em todos os continentes, a LactAçores reforçou a aposta em “novas tendências”, a par do investimento na região, através do lançamento de um produto que é “rico… como a Natureza”. Trata-se do leite Nova Açores Pastagem, descrito, pela diretora de Marketing, Andreia Santos, como um artigo de “valor acrescentado” e que tem menor impacto ambiental. A inovação é também uma das preocupações da empresa açoriana, de acordo com o diretor-geral, João Cunha, sendo um fator de diferenciação, num mercado competitivo, e que está presente nos produtos, mas também no packaging.

terça, 12 novembro 2019 10:07
Inovação é tendência para a LactAçores

 

Proveniente de explorações certificadas, este produto dá continuidade à “dignificação do leite dos Açores”, possibilitando uma “valorização maior” do mesmo, inserindo-se na estratégia que a marca tem vindo a traçar “há algum tempo”, que passa pela criação de artigos de valor acrescentado.

Em termos de promoção, a LactAçores vai arrancar com uma campanha 360, criada pela agência Zona de Ideias, comunicando o novo leite de pastegem – cujo packaging é assinado pela Shopper Engage – em televisão, mupis, outdoors, redes sociais e ATM, ao longo do primeiro mês. Após este período, a comunicação passará a ser feita “essencialmente, em redes sociais”, revela a diretora de Marketing da empresa.  

O decréscimo de consumo, associado a um grande número de consumidores que valoriza o preço levam a que comunicar um produto como o leite seja um “verdadeiro desafio”, afirma Andreia Santos, ressalvando, contudo, que se tem assistido a novas tendências.

 “O consumidor, cada vez mais, preocupa-se com a origem dos produtos, com aquilo que é natural, e nós tentamos ir ao encontro e enquadrar, um pouco, os nossos artigos, nessa vertente”, destaca.

A qualidade, os critérios rigorosos de certificação, e a questão de “estar em pasto 365 dias por ano” são apontados, pelo diretor geral da LactAçores, João Cunha, como fatores de diferenciação deste leite, que refere ainda que, para a empresa, “a inovação é tudo”.

Na visão de João Cunha, o que diferencia a empresa, hoje em dia, num mercado competitivo, é a aposta na inovação, a vários níveis: “Pode ser inovação através de packaging e inovação através de um produto específico – com uma qualidade, ingrediente ou mercado específico”.

O diretor geral da Unileite – União das Cooperativas Agrícolas de Lacticínios da Ilha de São Miguel e da LactAçores, António Pedro Escabeche, relembra que a produção do leite pastagem está associada a “elevadas exigências”, entre elas, a questão climatérica, que faz com que seja produzido em poucos países, sendo os maiores representantes a Irlanda e a Nova Zelândia, exemplifica.

Atualmente, tendo em conta a crescente preocupação com as práticas agrícolas sustentáveis, há outros países a desenvolver experiências de leite de pastagem, refere, destacando que “em Portugal, os Açores são um local privilegiado para a prática do pastoreio de vacas leiteiras”, devido à sua localização, clima temperado oceânico – com temperaturas amenas e chuvas distribuídas ao longo de todo o ano, associadas a solos férteis.

“O leite de pastagem dos Açores, mais que um produto, é um valor patrimonial da Região Autónoma dos Açores”, afirma António Pedro Escabeche.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing