Marketing

#ProvamosEAprovamos a (nova) Descoberta do ZAZAH

É verdade! O ZAZAH celebra dois anos, no Princípe Real, em Lisboa, com uma nova carta. Nós entregámos o nosso paladar a ela e, no final da experiência, não o quisemos rever. Os sabores representam um retorno às origens e um resgate da comida portuguesa. “Aperfeiçoaram-se os detalhes anteriores”, revela o chef Moisés Franco, que diz se ter baseado nos descobrimentos e na gastronomia das colónias. A Briefing fez uma “Descoberta” e revela tudo.

sexta, 10 janeiro 2020 13:20
#ProvamosEAprovamos a (nova) Descoberta do ZAZAH

A nossa refeição não ia ser a mesma sem os clássicos croquetes de alheira com parmesão, para iniciar. Afinal, eles são tão conhecidos que o chef não os retirou da nova carta.  

A mesa ficou composta com a chegada do Taquito, um taco de atum marinado em paprica doce, lima, coentros, cebola roxa e chili. O marinado funciona quase como corta sabores, devido ao toque ácido da lima, que resulta muito bem.

A ajudar à festa gastronómica estavam os cogumelos Paris fritos, com lascas de cebola roxa e temperados com cebolinho, flor de sal e furifake (condimento seco da culinária do japão).

#ProvamosEAprovamos a (nova) Descoberta do ZAZAH

 

#ProvamosEAprovamos a (nova) Descoberta do ZAZAH

Ainda a procissão ia no adro da igreja e já estávamos satisfeitos. “Para continuar” – tal como indica a carta –, o chef preparou o puré trufado, com trufas negras e parmesão, que acompanhou a carne da vazia maturada. A maionese “especial” não faltou. Ah! E os vegans que não se preocupem: a cozinha adapta o puré.

#ProvamosEAprovamos a (nova) Descoberta do ZAZAH

Não tardou para “fazermos” a tal “Descoberta”. Que é, nada mais nada menos, que um prato que reúne sabores tipicamente portugueses – carabineiro, polvo grelhado, chouriço, coentros, alho, batata, pimentos e cebola. “Os pratos, tal como nós, passam por períodos de amadurecimento. A Descoberta, que representa Portugal e os produtos locais, está nesse processo”, refere o chef, para explicar que o prato vai continuar a ser aprimorado.

A “Descoberta” pode ser acompanhado por um vinho próprio, “para cair bem”, que foi analisado e escolhido pelo sommelier António Guerreiro. “Acontece também com os outros pratos, assim conseguimos aconselhar as pessoas qual é o vinho que casa melhor”, explica Moisés Franco.

#ProvamosEAprovamos a (nova) Descoberta do ZAZAH

A adega do ZAZAH tem cerca de 80 rótulos, 70 portugueses e 10 franceses. Com a nova carta, chegaram os cocktails – todos são vegan – do bartender e mixologista Pedro Pogio, que aposta na aquafaba (água de cozedura do grão de bico) – também é usada pelo chef para fazer a mousse de chocolate vegan.

Antes de ir embora, um clássico português atravessou-se no caminho. Foi a baba de camelo, que é o doce preferido da pessoa que assina este artigo. A do chef leva amendoim e é… deveras gulosa!

#ProvamosEAprovamos a (nova) Descoberta do ZAZAH

Podemos dizer que foi uma boa re(descoberta) do ZAZAH, que continua a manter o conceito da partilha de comida, e a ser – concordamos com o chef – “o local onde as pessoas vêm para passar uma hora e acabam por ficar cinco”. Outra coisa é certa: #ProvamosEAprovamos.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

bt nl

Assinatura Mensal
Edição MensalE-paper

Facebriefing

Melhores Briefing